Benefícios do INSS

Diferença entre Carência e Tempo de Contribuição

Compartilhar

Se você está planejando se aposentar ou se já deu entrada em algum benefício no INSS, provavelmente já ouviu falar sobre o período de carência.

Mas você sabe identificar se precisa do período de carência para obter a concessão do seu benefício?

Fique tranquilo!

Hoje eu vou te mostrar como saber se o período de carência é relevante para a concessão do seu benefício e te ajudar a entender como funciona a contagem desse período.

Veja o que você vai compreender:

1. O que é o período de carência?

Antes de mais nada, eu queria te explicar como funciona o período de carência e o que ele interfere na sua vida previdenciária.

Carência é o tempo mínimo que você precisa contribuir para o INSS para ter direito a um benefício.

Ela é sempre contada em meses e não em dias.

Ou seja, carência é o número mínimo de meses pagos ao INSS para que você ou seu dependente, possam ter direito de receber um benefício.

Você precisa se preocupar se esse período está em dia.

Uma coisa interessante sobre a carência é que, mesmo que você não tenha trabalhado todos os dias para fechar um mês, aquele mês é considerado no período de carência. 

Uma boa notícia, concorda comigo?

Por exemplo: se no mês de julho de 2019 você trabalhou só 3 dias, você terá 1 mês na contagem do período de carência!

Uma curiosidade: o tempo de contribuição era contado em dias até o dia 12/11/2019, um dia antes da Reforma da Previdência entrar em vigor.

No dia 13/11/2019 ocorreu uma modificação e o tempo de contribuição também começou a ser contado mês a mês (mas somente se o recolhimento de determinado mês tiver como valor base de contribuição um salário mínimo ou mais).

E aí, consegui te explicar direitinho? 

Mas bom, vamos continuar 🙂

2. Qual a diferença entre carência e tempo de contribuição?

Provavelmente lendo o tópico anterior você deve ter ficado com essa dúvida.

Como disse antes, a carência é o tempo mínimo que você cumprir para ter direito à determinado benefício.

Essa carência tem o mesmo sentido para outros aspectos da nossa vida.

Por exemplo, eu me torno assinante de um plano de saúde.

Para eu poder fazer uma cirurgia plástica específica, preciso ter determinado número de meses pagos para poder realizá-la com os benefícios que o plano de saúde oferece.

Ou seja, preciso cumprir uma carência mínima para desfrutar dos benefícios.

No INSS é a mesma coisa.

Já o tempo de contribuição é o período efetivo que a pessoa fez recolhimentos ao INSS, seja como segurado obrigatório ou como segurado facultativo.

Para cada mês ser considerado como tempo de contribuição, em regra, o recolhimento deve ter como base o valor de um salário mínimo nacional (R$ 1.100,00 em 2021) ou mais.

Então vamos pensar, inicialmente, que a carência é um pré-requisito para a pessoa ter direito à determinado benefício.

Sem reunir o tempo de carência necessário, você não terá acesso a ele.

O tempo de contribuição é um requisito em si para os benefícios, principalmente para as aposentadorias.

3. Quais períodos não contam para a carência?

Você sabia que nem todos os períodos vão entrar na contagem da carência?

Pois é, caso você tenha no seu histórico algum dos períodos listados abaixo, saiba que eles não vão entrar na sua contagem da carência:

  • Tempo de serviço militar, obrigatório ou voluntário;
  • O tempo de serviço do segurado trabalhador rural anterior há novembro de 1991, ou o período indenizado após 1991;
  • O período de auxílio-acidente ou auxílio-suplementar;
  • O período de aviso prévio indenizado;
  • O período de retroação da DIC e o referente à indenização de período.

4. Quais benefícios previdenciários exigem carência?

Nem todos os benefícios exigem o período de carência…

Para esses aqui, a carência é indispensável:

Em contrapartida, os benefícios que não exigem carência são:

5. O que fazer agora?

Minha dica é: sempre confira seus dados no site Meu INSS e veja se você possui o tempo de carência para o benefício desejado.

Qualquer dúvida procure um advogado especialista em previdenciário, assim ele poderá te ajudar a compreender seu caso e quais são as reais possibilidades, ok?

Espero que agora tenha ficado mais claro para você como funciona o período de carência

Ela é um requisito importante para obter a concessão de muitos benefícios e, sem ela, você pode ficar sem o benefício que está buscando.

Por isso, fique atento a essas informações, ok?

Para te ajudar em outras dúvidas que talvez você esteja, vou deixar uma listinha de conteúdos bem legais e que vão fazer você entender melhor sua situação previdenciária:

E não esqueça de se inscrever na nossa Newsletter, com ela você estará bem informado com conteúdos e materiais exclusivos

A Letícia faz parte do setor consultivo do Ingrácio Advocacia. Ela tem paixão pela escrita, adora cachorros e nunca nega um café quentinho!

Post atualizado em 21 de setembro de 2021

Publicado por

Posts Recentes

Aposentadoria | Como Escolher a Melhor para Você?

Dicas de especialistas para você não errar na hora de escolher sua aposentadoria. Listei todas…

22 de setembro de 2021

Aposentadoria Cessada: O que Fazer e Como se Prevenir?

O INSS pode fazer a sua aposentadoria ser cessada, ou seja, cancelada totalmente! Isso ocorre…

17 de setembro de 2021

Posso ser Ressarcido de Contribuições Acima de Teto do INSS?

Às vezes os segurados contribuem com valores acima do teto do INSS. É possível pedir…

15 de setembro de 2021

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também compartilhamos informações sobre a utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais e de análise, que podem combiná-las com outras informações que são fornecidas ou recolhidas por estes a partir da sua utilização dos respectivos serviços.

Saiba mais