Quando Você Não Precisa de um Advogado para Pedir Aposentadoria?

Quando Você Não Precisa de um Advogado para Pedir Aposentadoria?

Eu sei que quando se fala em aposentadoria ou INSS, logo aparece na nossa cabeça a seguinte pergunta: será que eu vou precisar de um advogado previdenciário?

E se eu te disser que é possível conquistar uma aposentadoria sem contratar um advogado?

Em um primeiro momento você pode pensar que a economia será ótima… mas você deve ficar muito atento e não se precipitar!

Pois, não contratar um advogado em casos que você precisa de um, pode trazer um prejuízo muito maior…

Para você ter certeza que realmente não precisa desse profissional, eu preparei uma checklist interativa com 8 passos para você ter sua aposentadoria de forma independente! 

É só preencher esse pequeno formulário e já sair utilizando sua checklist exclusiva! 🙂

Veja o que você vai aprender com a Checklist Interativa:

Como usar a checklist?

Não, não é difícil usar nossa Checklist!

Para baixar, é preciso preencher o formulário 🙂

A checklist é toda interativa, ou seja, ao longo das páginas você verá quadradinhos que poderão ser marcados conforme você concluir ou se identificar com alguma etapa.

Para usar essa função, basta clicar em cima do quadrado e ele será marcado. 

Assim, você verá que esse passo já foi cumprido:

checklist-interativa-ingracio

Passo 1: Conhecer quais casos ou benefícios previdenciários podem ser feitos sem um advogado

Você vai entender quais benefícios podem ser pedidos sem um advogado, pois descobrindo esta informação, conseguirá saber se é possível ou não pedir seu benefício sozinho. 

Isso acontece porque muitas aposentadorias e benefícios são mais “tranquilos”, digamos assim, e podem ser requeridos no INSS sem um advogado previdenciário auxiliando.

Por isso, é essencial conhecer qual é o seu caso.

Para isso, independente da sua situação, é sempre recomendado que você faça uma consulta previdenciária com um advogado especialista e transparente.

Um profissional sério e confiável irá ser sincero com você sobre as suas opções: fazer tudo sozinho ou deixar que um advogado cuide disso para você.

Passo 2: Conhecer quais casos ou benefícios previdenciários devem ser feitos com um advogado

Neste capítulo da checklist você vai conferir quais benefícios precisam do cuidado de um especialista.

Isso pode acontecer por diversos fatores:

Ou seja, é fundamental que você saiba se está ou não dentro de alguns desses casos.

Passo 3: Escolhi fazer tudo sozinho. Como devo me preparar?

Não basta acordar um belo dia e resolver pedir um benefício no INSS, pois as coisas não são tão fáceis quanto parecem. 

Se você não estiver preparado, pode conseguir um benefício, mas ele não será o correto para você ou terá um valor muito abaixo do esperado. 

E uma das piores hipóteses é ter um benefício negado e ver que só perdeu tempo correndo atrás de algo não concreto. 

Você precisa ter um conhecimento sobre o seu caso e ver o que é necessário para conseguir um benefício correto. 

Neste capítulo de checklist você entenderá: 

Esta checklist está completa mesmo! 🙂

Passo 4: Se aparecer que tenho exigências no INSS, como cumprir?

Esse é um capítulo bem importante da Checklist, pois ter exigências não significa que seu pedido será negado. 

Ou seja, não se desespere!

O melhor mesmo é entender como você deverá cumprir essas irregularidades no INSS.

É o que você verá neste material disponível.

Passo 5: Acompanhar o pedido de benefício, como fazer?

No passo 5 do nosso material, eu vou te mostrar como acompanhar o seu benefício no site Meu INSS, como criar login, como utilizar a plataforma e apresentarei em quais informações você precisa ficar atendo.

Passo 6: Como sacar minha aposentadoria?

Sacar a sua aposentadoria é o passo mais esperado, né?

Mas existem algumas dicas que eu queria passar para você que te trarão mais segurança e certeza de que conquistou um benefício correto.

Então, fique atento aos próximos passos!

Passo 7: Como não cair em golpes com aposentados?

Quando você baixar sua checklist, preste bem atenção no passo 7, porque os golpes na Internet e telefone são os mais frequentes com aposentados no INSS, infelizmente…

Nele eu vou te alertar sobre os golpes mais comuns e como evitar cada um deles!

E se você quiser entender mais a fundo sobre os golpes, confira nosso conteúdo: Os 5 Golpes Mais Comuns do INSS e Como Evitar

Passo 8: Onde posso encontrar mais informações?

O passo 8 da nossa checklist foi reservado para você ficar craque no assunto Aposentadoria Sem Advogado, pois eu selecionei nossos melhores conteúdos envolvendo cada passo a passo para você se aprofundar mais na temática. 

Os conteúdos selecionados foram produzidos pelos nossos autores especialistas em direito previdenciário, então pode confiar que é informação boa e de confiança. 

E se eu precisar de um advogado, como eu escolho um?

Caso você precise ou queira contar com um especialista para cuidar do seu caso, você deve ter certeza que ele é de confiança.

Só um especialista conseguirá te entregar as mais diversas soluções para o seu caso, como, por exemplo:

  • Realizar um estudo profundo do seu caso;
  • Realizar todos os cálculos previdenciários necessários;
  • Realizar uma análise para encontrar outras possibilidades melhores ou mais rápidas; 
  • Realizar um diagnóstico sobre qual é o melhor benefício para você;
  • Realizar uma análise dos seus próximos passos.

A verdade é que se você escolher fazer sozinho, será necessário ter a consciência de que tudo isso exigirá de você um preparo e um risco maior.

Você precisa ter disciplina e estudo sobre o Mundo Previdenciário da melhor forma possível.

E eu tenho uma última dica bem bacana: se você quiser continuar tendo acesso aos nossos materiais e conteúdos exclusivos, se inscreva na nossa Newsletter.

Ela é gratuita e você recebe tudo no conforto da sua caixa de e-mails! 🙂

Como Pedir o Seguro-Desemprego pela Internet?

Como Pedir o Seguro-Desemprego pela Internet?

Em tempos de crise, infelizmente é comum as empresas demitirem parte de seus funcionários para ter um alívio financeiro.

Desse modo, alguns trabalhadores demitidos sem justa causa terão direitos a um auxílio do governo, chamado Seguro-Desemprego

Se você possui os requisitos necessários para este auxílio, este post é para você! Acompanha-me no post que você vai entender:

1. Quem tem direito ao Seguro-Desemprego?

Para ter direito ao Seguro-Desemprego, você precisa reunir os seguintes requisitos:

  • Ter sido dispensado (demitido) sem justa causa;
  • Estar desempregado, na hora do requerimento do benefício;
  • Não estar recebendo nenhuma categoria de benefício da Previdência Social, exceto Pensão por Morte ou Auxílio Acidente;
  • Não possuir renda própria para o próprio sustento e de sua família;
  • Ter recebido salário do seu empregador:
    • pelo menos 12 meses nos últimos 18 meses imediatamente anteriores à data de dispensa, quando da primeira solicitação;
    • pelo menos 9 meses nos últimos 12 meses imediatamente anteriores à data de dispensa, quando da segunda solicitação;
    • cada um dos 6 meses imediatamente anteriores à data de dispensa, quando das demais solicitações;
  • Apresentar 15 meses de trabalho com carteira assinada durante os últimos 2 anos, no caso dos empregados rurais;
  • Não ser sócio ou membro com participação nos lucros da empresa.

São muitos requisitos e você deve prestar atenção a todos eles para ver se tem direito ao benefício.

Vou deixar aqui, dois posts essenciais para você ficar craque no assunto:

Vale a pena a leitura para saber a quantidade de parcelas e o valor do benefício que você tem direito.

2. Passo a passo de como pedir o Seguro-Desemprego pela Internet

Primeiro, preciso te informar que a solicitação do Seguro-Desemprego se dá em duas partes, dependendo do caso:

  • Você faz a solicitação online, preenchendo todos os seus dados pessoais e profissionais;
  • Depois você terá que ir em alguma agência do Ministério do Trabalho para apresentar a documentação necessária que comprova o seu direito ao Seguro-Desemprego, caso seja solicitado.

Atenção: agora com a situação do Coronavírus no Brasil, pode ser que algumas agências do Ministério do Trabalho não estejam funcionando.

Desse modo, toda a solicitação do Seguro-Desemprego é feita online, onde você deverá anexar os documentos comprovativos do seu direito ao auxílio.

Primeiro vamos à solicitação online:

1.º passo: você deve acessar o site do Emprega Brasil e se cadastrar no site. Clique no botão “Cadastrar” no canto superior direito.

2.º passo: você chegará nesta página:

Você precisa fazer seu cadastramento no site Emprega Brasil.

Caso você não tenha cadastro no gov.br, clique em “crie sua conta gov.br”, e escolha a opção de cadastro mais fácil para você.

Eu recomendo apertar na opção de cadastro com número de CPF.

Deverá preencher os dados com o seu CPF e nome completo. Depois você deve confirmar que não é um robô e aceitar os Termos de Uso do site.

3.º passo: agora você deve confirmar os dados da sua data de nascimento.

4.º passo: escolha a forma que a sua senha provisória será enviada: pelo email ou pelo número de celular que você cadastrou.

Após escolher a melhor opção para você, clique em “Continuar”.

5.º passo: você deve checar seu email ou celular para verificar o código de validação.

Após isso, clique em “Validar cadastro”.

6.º passo: é a hora de criar sua senha definitiva.

Agora sua senha foi criada com sucesso!

7.º passo: volte para o site Emprega Brasil e clique em “entrar”, no canto superior direito.

Depois, abrirá uma nova página e você deve clicar em “Já tenho cadastro”.

8.º passo: é necessário você complementar o seu cadastro. Clique no link indicado para fazer isso.

9.º passo: aparecerão 5 perguntas sobre o seu histórico de trabalho e você deve acertar pelo menos 4 delas. Recomendo pegar sua Carteira de Trabalho para lembrar das respostas.

Depois disso, seu usuário estará validado com sucesso. Clique em “Continuar”.

10.º passo: agora acesse o site dos serviços da Secretaria do Trabalho e atualize as suas informações pessoais.

11.º passo: finalmente a opção de pedir Seguro-Desemprego estará liberada, como mostra a imagem:

Na área do trabalhador, escolha a opção "seguro-desemprego".

Você deve clicar nela e logo em seguida “Solicitar Seguro-Desemprego”.

Você deve fornecer o número de requerimento de Seguro-Desemprego que é dado pelo seu antigo empregador.

12.º passo: novamente você deve preencher informações com seus dados pessoais e profissionais.

Esse é o mesmo formulário que você preencheria se fosse pessoalmente a alguma agência do Ministério do Trabalho.

13.º passo: serão sugeridas vagas de trabalho que combinam com o seu perfil profissional e também cursos de qualificação para melhorar o seu currículo.

Caso tenha interesse, inscreva-se nesses cursos ou se candidate às vagas de emprego.

14.º passo: confirme o desejo de receber o Seguro-Desemprego e depois faça o agendamento de um atendimento presencial a uma agência do Ministério do Trabalho e depois confirme.

Pronto, você já fez a primeira parte da solicitação do benefício!

Importante: você começa a receber a primeira parcela do Seguro-Desemprego na semana seguinte à solicitação, ok?

Uma última informação relevante para você sobre o cadastro: é possível fazer todo esse processo de solicitação do Seguro-Desemprego no celular, através do aplicativo da Carteira de Trabalho Digital (disponível para iOS e Android).

Uma ótima alternativa, não acha?

3. Documentos essenciais para levar no dia do atendimento presencial

Pode ser que o Ministério do Trabalho te chame para ir em uma de suas agências para apresentar documentação que comprova o seu direito ao Seguro-Desemprego.

Na data marcada, você deve levar consigo alguns comprovantes de todos os seus vínculos de trabalho e outros documentos essenciais para comprovar o seu direito ao Seguro-Desemprego.

Todo esse procedimento é feito para evitar fraudes, então tenha tudo certo com você para não ter maiores problemas na hora de receber o benefício.

A documentação que você deve levar são os seguintes:

  • Documento de identificação;
  • CPF;
  • Carteira de trabalho;
  • Documento de Identificação de Inscrição no PIS/PASEP;
  • Requerimento de Seguro-Desemprego (levar impresso a solicitação feita pelo site);
  • TRCT (Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho​) para os contratos superiores a 1 ano de trabalho;
  • Termo de Homologação de Rescisão do Contrato de Trabalho (acompanha o TRCT) nas rescisões de contrato de trabalho com mais de um ano de serviço;
  • Termo de Quitação de Rescisão do Contrato de Trabalho (acompanha o TRCT) nas rescisões de contrato de trabalho com menos de um ano de serviço;
  • Documentos de levantamento dos depósitos no FGTS ou extrato comprobatório dos depósitos.

Levando estes documentos (e cumprindo os requisitos mencionados no primeiro tópico), não tem erro, você terá direito ao Seguro-Desemprego. 🙂

Conclusão

Agora você já sabe como pedir o seu Seguro-Desemprego pela internet. Conseguiu perceber ser um processo muito simples e rápido?

Depois de você fazer o agendamento online, você deve se dirigir a alguma agência do Ministério do Trabalho para comprovar seu direito ao auxílio.

Como funcionam a Revisão de Aposentadorias e Benefícios do INSS?

Como funcionam a Revisão de Aposentadorias e Benefícios do INSS?

Você já pensou na possibilidade de fazer a revisão da sua aposentadoria no INSS?

Imagine a hipótese de sair novas leis que garantem que você pode ter direito a ter um valor maior na aposentadoria.

Seria ótimo, né?

Essa possibilidade é ideal para você que está na etapa de concessão de benefício, porque não é nada agradável chegar na hora de receber os valores e perceber que não concorda com a forma de cálculo que o INSS fez. 

É pensando na sua proteção, que no Direito Previdenciário proporciona a Revisão de Benefícios.

Ela nada mais é do que a reanálise do seu benefício já concedido, em razão da sua insatisfação com o valor recebido por pensar que o cálculo está errado ou pela criação de novas teses jurídicas que garantem um melhor benefício para você.

Me acompanhe neste post que você pode ter a chance de aumentar o valor da sua aposentadoria, entendendo os seguintes pontos:

1. O que é a Revisão de Aposentadorias?

Como eu disse antes, a Revisão de Benefícios serve para reanalisar o benefício que está sendo pago para você.

Essa re-análise é feita, geralmente, para que o valor do benefício aumente…

Por exemplo, imagine que você receba uma aposentadoria no valor de R$ 2.000,00. 

Contudo, você observou, após 3 meses de recebimento do benefício, que o INSS não incluiu no cálculo da aposentadoria 3 anos de atividade especial que você trabalhou quando ingressou no mercado de trabalho.

É bem provável que esse tempo fará com que o valor da sua aposentadoria aumente. Nesse caso, é possível fazer a revisão!

2. Quem tem direito a pedir uma revisão?

Em linhas simples, tem direito a Revisão de Benefícios qualquer beneficiário do INSS que não concorde com algum parâmetro utilizado pelo Instituto na concessão do benefício.

Por exemplo, imagine o valor dos seus salários de contribuição (que constam no CNIS) que serviram de base para a concessão do seu benefício, estão errados.

Se você conseguir provar que o INSS errou, você pode pedir a revisão.

Importante: a maioria das revisões possuem o prazo de 10 anos a partir da data de concessão do benefício.

Se for acima de 10 anos, você não tem direito a entrar com um pedido de revisão ao INSS.

Não sabe se está dentro do prazo? Utilize a Calculadora de Prazo de Decadência:

Também pode pedir revisão os beneficiários que se enquadrarem em situações específicas de novas teses jurídicas que dão direito a algum tipo de aumento do benefício.

Vou falar disso melhor mais para frente, não se preocupe. 😉

A partir dessas situações, você pode ingressar com um pedido de revisão no próprio site do INSS para que eles façam a reanálise do seu benefício.

Como saber se há algum tipo de erro no meu benefício?

Essa é uma pergunta muito comum que meus clientes vêm me perguntar e eu logo digo que você pode ter essa resposta de dois modos:

  1. primeiro, você deve analisar a sua carta de concessão e a memória de cálculo do benefício. Lá estarão todas as informações do que foi levado em consideração pelo INSS para te dar aquele benefício, incluindo os valores;
  2. o segundo modo de você ver se há algum erro por parte do INSS é através do Processo Administrativo (PA). Você tem acesso a esse PA através da Central de Atendimento do Instituto, telefone 135, ou no site do Meu INSS.

Caso você não entenda muito bem os cálculos, recomendo você contratar um advogado especialista em Direito Previdenciário para verificar ou confirmar o erro por parte do INSS.

Fica tranquilo que vou te aconselhar melhor sobre isso mais adiante.

3. Quais são os tipos de Revisões?

Eu costumo dividir as Revisões de Benefícios em duas: as Revisões de fato e as Revisões de direito. Vou explicá-las separadamente para você entender melhor.

Revisões de fato

Essas são as revisões que você terá direito a fazer pelos fatos que ocorreram na sua vida que o INSS não considerou.

Relembrando o exemplo que dei antes, é a mesma situação de quando o Instituto não considera alguns períodos de atividade especial, ou contribuições no exterior, etc. 

Foi um fato realizado por você (atividade especial ou trabalho no exterior, por exemplo) que o INSS não considerou que serve como justificativa para pedir uma revisão.

O objetivo é que o Instituto analise e conceda todos esses períodos não considerados para você conseguir um benefício melhor.

Mas também pode ocorrer quando o INSS não considera salários de contribuição maiores por alguma falha de cálculo deles. Nesse caso, também é uma revisão de fato.

Por fim, também preciso citar que um dos principais exemplos de revisões de fato são os vínculos empregatícios não computados. 

A melhor forma de comprovar isso é com a sentença trabalhista que confirma tal vínculo. 

Você aciona o INSS, através do pedido de revisão, com essa sentença para comprovar que esse vínculo te traz um aumento no valor do benefício.

Resumindo, as revisões de fato ocorrem, na sua maioria quando o INSS não considera no cálculo (por falta de atenção ou por pensar que você não tem direito):

Revisões de direito

Já as revisões de direito são aquelas que eventuais teses jurídicas, leis ou decisões de repercussão geral do STJ, ou STF dão direito a uma reanálise do seu benefício.

O exemplo mais simples que eu posso te dar é a Revisão da Vida Toda. Em dezembro de 2019 o STJ afirmou ser possível, de fato, fazer essa categoria de revisão.

Essa possibilidade voltou à estaca zero e está pendente de julgamento no STF no momento (atualizado em 08/03/2022).

Na tese da Revisão da Vida Toda, é possível que você inclua os valores de salários de contribuição no cálculo do seu benefício para períodos anteriores a julho de 1994. 

Graças a essa decisão de repercussão geral do STJ e do STF, quem tem bastante contribuição antes desse período que mencionei e poucas contribuições depois, terá um aumento no valor do benefício.

Voltando ao assunto: as revisões de direito dependem de alguma fonte jurídica para ter validade. Além disso, você precisa cumprir os requisitos dela.

No caso das revisões de fato, ela depende de contribuições ou vínculos empregatícios exclusivamente seus para ter direito a reanálise.

Você já deve ter lido aqui no blog do Ingrácio, mas agora vou te apresentar as revisões mais comuns no Direito Previdenciário.

Óbvio que a lista não se resume ao que vou falar, terão outras mais específicas, mas vou falar sobre os tipos que mais aparecem clientes aqui no escritório.

Revisão da Vida Toda

Essa revisão, como eu disse antes, é feita para quem tem contribuições com um valor alto antes de julho de 1994, mas que contribuiu pouco ou com valores baixos depois desse período.

Acontece que veio uma lei em 1999 afirmando que os salários de contribuição que entram para o cálculo das aposentadorias devem ser os posteriores a julho de 1994, pois é a época que o real (R$) entrou em vigor. 

Então, se você contribuiu com um valor alto antes desse tempo, você teria perdido todos esses valores que aumentariam o seu benefício, o que é bastante injusto.

Após várias discussões nos tribunais superiores do Brasil, em dezembro de 2019 foi afirmado pelo STJ, através de repercussão geral, a possibilidade da Revisão da Vida Toda.

Ou seja, é possível incluir todos os valores no cálculo da aposentadoria, inclusive os anteriores a julho de 1994.

O STF ainda decidirá sobre a possibilidade da Revisão da Vida Toda ou não, ainda mais agora que, após 08/03/2022, o julgamento voltou à estaca zero.

Portanto, devemos aguardar para saber se o Supremo dará a chance de revisão aos segurados ou não.

Atenção: não confunda incluir os valores na contribuição com incluir o tempo de contribuição.

O tempo de contribuição realizado antes de julho de 1994 sempre foi considerado normalmente, o que não era considerado antes era somente os valores.

Se você pensa que esse pode ser o seu caso, o Ingrácio já fez um conteúdo completo sobre essa Revisão.

Revisão do Buraco Negro

Apesar de parecer complicado, a Revisão do Buraco Negro é bastante simples.

Ela é direcionada aos segurados que se aposentaram entre 05/10/1988 e 05/04/1991.

Acontece que nessa época ainda não estava vigente a lei do Regime Geral de Previdência Social (RGPS)

Desse modo, as pessoas que se aposentaram entre essas datas não tiveram corrigidos os seus 12 últimos salários de contribuição na Renda Mensal Inicial (RMI).

Como naquela época a inflação era muito grande, isso causou um rombo no valor do benefício dos segurados.

Mas a lei do RGPS entrou em vigor em 1991 e ela estabeleceu que todas as RMI’s, desde o dia 05/10/1988, deviam ser corrigidas.

No entanto, muitos segurados não tiveram seu benefício corrigido pelo INSS. Assim, para você ter direito a essa revisão, você precisa, necessariamente, ter se aposentado entre 05/10/1988 e 05/04/1991.

Além disso, seu benefício não pode ter sido corrigido pelo próprio INSS na época que a lei determinou.

Temos um conteúdo completo sobre esta modalidade de revisão. Vale a pena conferir!

Revisão do Teto 10

Em 1998 e 2003 foram feitas novas Emendas Constitucionais.

Elas, além de outras coisas, aumentaram o teto do valor dos benefícios previdenciários para R$ 1.200,00 (a Emenda de 1998) e R$ 2.400,00 (a Emenda de 2003).

Contudo, o INSS disse que esses novos tetos valiam somente para os benefícios concedidos após a vigência de cada emenda, o que parece bastante injusto.

Nesse caso, a Revisão do Teto 10 é direcionado aos segurados que tiveram seu benefício concedido antes da vigência dessas emendas e que tem um valor superior ao teto vigente quando da concessão do seu benefício.

Nós também criamos um post exclusivo sobre a Revisão do Teto 10

Se você acha que se encaixa nos requisitos, fique atento.

Revisão do IRSM

Essa é uma revisão possível para quem se aposentou ou recebeu Pensão por Morte entre 01/02/1994 até 31/03/1997.

O Índice de Reajuste de Salário Mínimo (IRSM) corrigia a inflação até fevereiro de 1994. Hoje, por exemplo, o índice vigente é o INPC.

Em fevereiro de 1994, o Governo alterou o IRSM para outro índice, porém, o IRSM de fevereiro de 1994 foi de 39,67%, bem alto!

Com isso, a partir desse mês, o INSS deixou de considerar o IRSM para os benefícios concedidos a partir de fevereiro de 1994, o que causou desvalorização no valor desses benefícios.

E isso só foi resolvido em março de 1997. Por isso, se seu benefício foi concedido entre essas datas, pode ser que você tenha direito a essa revisão e seu benefício seja reajustado.

Se quiser saber como entrar com essa revisão e o prazo, veja em: Revisão do IRSM: Para quem se aposentou entre 1994 e 1997

4. Eu posso fazer um recurso logo que meu benefício é concedido?

Você deve estar se perguntando isso, correto?

Não seria mais fácil fazer um recurso administrativo quando você observa que o cálculo utilizado na concessão do seu benefício, por exemplo, está errado? 

Isso é verdade, seria bem mais rápido pedir um recurso, mas infelizmente, a lei previdenciária diz que você só pode fazer um recurso quando seu pedido de benefício for negado ou for concedido parcialmente (quando não aceitam todos os seus pedidos).

Só que não se preocupe, você pode fazer um pedido de revisão logo depois que for concedido o benefício. É normal isso acontecer.

Também é normal os segurados verem somente um tempo depois que o cálculo está errado ou que você tem uma revisão de direito para solicitar.

Nesses casos, deve se atentar aos prazos que você tem para solicitar a revisão do benefício, vou falar sobre isso agora…

5. Atenção! Fique atento ao prazo de pedir essa Revisão

É isso mesmo que você leu, existe um prazo para pedir essas revisões.

Com exceção de poucas revisões de direito, praticamente todas as revisões tem o prazo máximo de 10 anos para você requerer a partir da data que você começou a receber o benefício.

Mas não se confunda, você não tem que esperar 10 anos para poder fazer o requerimento de revisão.

Você precisa fazer o pedido em até 10 anos depois do recebimento do benefício. Essa é uma dúvida muito comum entre os clientes aqui do escritório.

Mas tem um detalhe: o prazo se encerra no primeiro dia do mês seguinte ao mês que você começou a receber o benefício.

Por exemplo, imagina que você começou a receber uma aposentadoria no dia 25/04/2021. Você terá até o dia 01/05/2031 para fazer o requerimento de revisão.

Simples, não? 🙂

Uma notícia boa

Agora pense que esgotou seu prazo de 10 anos para pedir a revisão. Não está tudo perdido!

Existem duas exceções em que você pode entrar com um pedido de revisão caso tenha esgotado esse tempo:

  1. quando o INSS, na concessão inicial do benefício, não tiver analisado um documento que já existia no processo administrativo;
  2. quando houver um documento novo que nem o INSS nem o segurado tinham acesso.

Nessas duas hipóteses, você pode pedir a revisão do benefício a qualquer hora, inclusive depois de 10 anos que você começou a receber os valores do seu benefício.

6. A Reforma mudou algo sobre as Revisões?

Já te digo que não, mas ela trouxe um problema para quem mora em cidade pequena.

Se o seu pedido de revisão for negado, você terá que ingressar com uma ação na Justiça Federal com a presença de um advogado.

Acontece que existem municípios que não possuem Justiça Federal.

Nesses casos, era autorizado o segurado ingressar com uma ação na Justiça Estadual, ou seja, no fórum cível do seu município.

Contudo, a Reforma veio e estabeleceu a seguinte decisão: o beneficiário que deseja fazer uma ação de revisão de benefício (já negada pelo INSS no processo administrativo) deve buscar uma Justiça Federal num raio de 70 km de sua residência. 

Caso haja Justiça Federal dentro desse raio, você deve se deslocar até lá só para ajuizar a ação.

Mas como a maioria dos processos hoje em dia é online, você não teria que estar lá na Justiça Federal o tempo todo, mas somente quando for o caso do juiz querer ouvir você. Mesmo assim, o custo aumenta bastante para você só pelo fato de ter que se deslocar.

Agora, se não houver uma Justiça Federal num raio de 70 km de sua residência, você pode fazer uma ação no fórum cível comum (Justiça Estadual) mesmo.

Você confere a lista das cidades que não tem uma Justiça Federal no raio de 70 km nos links que vou deixar para você, de acordo com cada estado:

Mas calma, você ainda pode ser afetado com a Reforma!

Pois é, a Reforma estabeleceu um novo cálculo para a maioria dos benefícios previdenciários.

Caso você tenha comprovado que atingiu as condições para melhorar o seu benefício até o dia 12/11/2019 (um dia antes da entrada em vigor da Reforma da Previdência), você não será afetado com o novo cálculo, mesmo se você fizer o requerimento de revisão depois.

Agora, se você reuniu as condições de melhoria do benefício a partir do dia 13/11/2019, você entrará nas novas regras de cálculo.

O que eu te aconselho é: veja bem se vale a pena revisar o seu benefício, porque isso pode te trazer consequências negativas. Vou falar disso melhor agora.

7. E-book: Como funciona uma Análise de Revisões

Peço uma atenção especial agora. É possível que seu benefício seja reduzido depois da reanálise do INSS, é isso mesmo!

Imagine que você entrou com um pedido para o Instituto rever algumas contribuições que você julga não ter entrado na hora do cálculo do seu benefício. 

Mas, na hora de re-analisar seu benefício, o INSS percebe que, além de você não ter direito a essas outras contribuições, eles mesmos (o Instituto) erraram em considerar outro tempo de trabalho na hora da concessão do benefício (que já tinha entrado no cálculo).

Nesse caso, com essa exclusão de períodos de trabalho anteriormente considerados, o valor do seu benefício pode baixar!

Pode parecer bizarro, mas é o que acontece. Você pode ter a noção de que: se eles erraram, é culpa deles, eles que arquem com o erro, mas não é bem assim.

O INSS vai dizer se você está correto ou não em pedir a revisão do seu benefício. A menor dúvida que você tiver sobre o seu direito a ter uma revisão, procure um advogado especialista.

Pensando nisso, nós do Ingrácio preparamos um conteúdo extraordinário para presentear você que chegou até aqui a gente!

Isso mesmo, nós estamos disponibilizando gratuitamente para você o e-book: O que acontece durante uma Análise de Revisões?

Com esse material você vai entender como evitar ir até o INSS e cometer um equívoco de solicitar uma revisão sem necessidade alguma. 

Para você entender como isso é possível, vamos te apresentar a opção de realizar uma Análise de Revisões e descobrir como é a melhor saída para seu benefício! 

Conclusão

Agora você já sabe tudo sobre Revisões de Benefícios e quais são os critérios para ter direito à uma.

Sobre as revisões de direito, o Ingrácio começará a fazer posts exclusivos do assunto para você entender melhor o que é e como funciona, por isso continue ligado aqui no blog.

E lembre-se de prestar atenção ao prazo que você tem para fazer o requerimento de revisão, pois a maioria delas tem validade, ok?

Por fim, novamente te alerto sobre a possibilidade de ter seu benefício reduzido na revisão, caso o INSS constate que errou na hora de analisar o seu benefício inicial. 

Consulta Previdenciária para Aposentadoria: Como Funciona?

Consulta Previdenciária para Aposentadoria: Como Funciona?

Todo o ano, mais da metade dos pedidos de aposentadorias são negados pelo INSS.

E para não ter o mesmo destino destes trabalhadores, conheça agora os 5 motivos para você precisar de uma Consulta Previdenciária

Neste post você vai conhecer como esse serviço é essencial para ter uma aposentadoria correta e no tempo certo.

Este conteúdo é para te tranquilizar e avisar que existe uma saída para o seu caso, porque queremos levar uma solução para você.

Dado o aviso, vamos lá!

1º Motivo | Ter todas as informações da sua vida previdenciária

Lembra da estatística de 55% dos pedidos terem sidos negados pelo INSS?

Pois é, de acordo com o Instituto, isso acontece porque a maioria das pessoas solicita a aposentadoria sem saber qual é sua real situação na previdência

É aí que entra em cena a Consulta Previdenciária.

Este serviço traz informações completas sobre:

  • seu histórico de trabalho;
  • seu histórico de contribuições;
  • o seu direito ao benefício pretendido;
  • comprovação de atividades;
  • cálculos atualizados;
  • e simulação precisa do tempo que ainda lhe resta e de possíveis valores de benefício.

Com essas informações, você está preparado para enfrentar todas as exigências que o INSS faz antes de te conceder uma aposentadoria.

Sem elas, é quase impossível sair do INSS com um resultado positivo.

Digo isso porque sou sua amiga e quero que você esteja preparado. 

Pense comigo, quais são as chances de ter uma aposentadoria aprovada, ou melhor, com o salário de benefício correto, sem estar preparado?

Antes de responder para si mesmo, você precisa refletir sobre sua situação, para isso faça essas breves perguntas:

Enfim, são muitas perguntas que eu poderia fazer para você, porque isso é uma forma de te ajudar a pensar sobre seus reais conhecimentos do seu caso. 

Além disso, posso te garantir que a Consulta Previdenciária é um serviço altamente versátil.

Ela atende as necessidades de um trabalhador que conhece sua própria situação no INSS e precisa de um especialista para saber se pode entrar com um pedido de aposentadoria sozinho.

E também ajuda aquela pessoa que não conhece nada sobre suas pendências e precisa de uma orientação sobre seus próximos passos. 

Resumindo, esse serviço é feito especialmente para aquele trabalhador que deseja ter tranquilidade e segurança em todos os aspectos da sua aposentadoria.

E isso acontece graças a um diagnóstico completo que só um especialista de confiança pode te garantir.

2º Motivo | Ter uma documentação impecável

Tão grave do que não saber se tem direito a uma aposentadoria, é não ter a documentação correta, e isso pode acarretar em perda de preciosos períodos de trabalho.

Foi o que aconteceu no caso do Maurício, que possuía 10 anos como minerador de uma mina subterrânea em Minas Gerais e 5 anos na mesma mina, mas agora no cargo supervisor de carga. 

Nesta situação, os 5 anos não foram contabilizados como especiais, apenas os 10 anos como minerador.

Hoje, com a Reforma da Previdência, ele precisaria de 15 anos de atividade especial de alto risco + 55 anos, sem a possibilidade de converter tempos especiais para comuns. 

Mas, para que Maurício precise de mais 5 anos trabalhando em atividades especiais, seu advogado precisou ir atrás de provas que comprovem que o período trabalhado como supervisor de carga que também devia ter sido considerado atividade nociva à saúde.

Para isso ele utilizou documentos como:

  • provas testemunhais;
  • laudos técnicos no ambiente de trabalho, como o PPP;
  • e atestados médicos com exames direcionados a lesões sofridas durante todos esses anos.

O advogado conseguiu, desse modo, comprovar que todos esses 15 anos eram, de fato, atividades especiais realizadas antes da vigência da Reforma, dando direito a uma Aposentadoria Especial para o Maurício.

Não seria injusto ele precisar trabalhar mais alguns anos para ter direito a essa aposentadoria.

Por isso, ter uma documentação impecável é o segundo motivo pelo qual você precisa de uma Consulta Previdenciária.

Neste atendimento, seu advogado especialista irá fazer um verdadeiro caça ao tesouro para encontrar os períodos que precisam ser comprovados e quais documentações irão salvar sua pele no INSS.

Os grandes heróis da sua aposentadoria são os seguintes documentos:

E confia em mim, isso é apenas a pontinha do iceberg, porque a variedade de documentos que podem te dar um parecer favorável é infinita. 

Mas, o que muitas pessoas não levam em consideração é que a maioria destes documentos podem apresentar alguma irregularidade nas informações, seja por dados incompletos, dados inexistentes ou até menos por números errados.

Ou seja, só o olhar clínico de um advogado especialista e comprometido com seu caso pode encontrar verdadeiras oportunidades que precisam ser regularizadas.

Esse profissional vai te orientar como fazer a busca perfeita pelos seus documentos. 

Isso sem falar nas documentações extras que podem potencializar as provas que lhe dão direito à sua aposentadoria, como acontece nos seguintes casos:

  • documentos que validam suas testemunhas em caso de aposentadoria rural ou especial;
  • documentos que provam sua exposição a agentes nocivos à saúde;
  • documentos que podem ser elaborados mesmo depois do período trabalhado, como provas emprestadas.

Sendo assim, é crucial que você leve a documentação correta para a fase administrativa no INSS.

Sem isso, você corre sérios riscos de precisar do processo judicial, e não queremos isso, certo?

E para te ajudar nesta questão, nós criamos um post bem completo sobre quais são os documentos necessários para aposentar.

Mas, não fique só neste conteúdo, a orientação profissional deve sempre ser consultada, pois, cada caso é um caso…

3º Motivo | Ter as melhores soluções para seu caso

Agora, escute o meu conselho: não aceite respostas genéricas sobre seu caso.

Vai por mim, uma consulta previdenciária bem feita é aquela que é exclusiva para você!

Não aceite apenas um diagnóstico de que precisa de um processo na Justiça ou uma resposta simples de que pode fazer tudo sozinho.

Uma boa consulta vai te apresentar o porquê de cada opção e mostrar o caminho das pedras até o INSS. 

Toda consulta deve ser única, com cálculos e respostas personalizadas, pois cada trabalhador possui um histórico de atividades único e que necessita de um estudo previdenciário específico. 

Um serviço nesse nível de personalização garante que:

  • você tenha os valores mais próximos possíveis dos cálculos do INSS;
  • você tenha a documentação correta para cada uma das suas pendências;
  • você tenha uma solução dada sob medida para seu caso. 

É importante que você termine esse post sabendo que o processo na justiça não deve ser sua primeira opção, pelo contrário, um bom advogado vai investigar o que for necessário para encontrar uma saída que não seja a judicial. 

Por isso, desconfie caso seu advogado lhe apresente o processo judicial sem antes mesmo de estudar outras alternativas e sem realizar um estudo com cálculos

Levamos tão a sério o assunto que nós fizemos o post Consulta Previdenciária Online vs Advogado Caça Processo, recomendo a leitura. 

E para te ajudar na escolha de um bom profissional, nós criamos uma Checklist interativa gratuita com 4 Dicas Essenciais para contratar um Advogado Previdenciário.

Use sempre que tiver dúvidas sobre o assunto.

4º Motivo | Ter tranquilidade para esperar o momento certo de se aposentar

Como você já deve ter percebido, o processo judicial contra o INSS é um dos assuntos mais falados neste ramo, ficando de lado a importância de fazermos um bom e correto planejamento previdenciário.

Mas, só para você ter uma noção, a maioria das pessoas que procuram nossa ajuda chega até nós com seus benefícios negados, processos parados na Justiça ou com um pedido administrativo que não as favorece.

Ok, e o que isso tem a ver com a Consulta Previdenciária?

Bom, eu preciso abrir seus olhos e te mostrar que os diagnósticos obtidos na consulta não se resumem em: você tem direito a determinado benefício ou precisa fazer um processo na Justiça.

Pelo contrário, com esse serviço você consegue descobrir detalhes muito mais profundos que fazem a diferença.

E nem sempre a resposta é exatamente aquela que você queria, outras alternativas podem surgir com a consulta, como por exemplo:

  • você já possui direito a um tipo de benefício, mas se você esperar mais um determinado tempo você terá direito a algo melhor;
  • você não possui nenhum direito no momento, mas os benefícios mais próximos são esses, entre outras possibilidades. 

E independente de qual for a sentença final, o advogado que realiza esse serviço precisa te mostrar qual é a melhor forma de esperar pela opção mais vantajosa.

Ele deve te apresentar os documentos que você precisa guardar ao longo do caminho e o que é necessário para realizar o pedido e quais cuidados precisam ser tomados. 

Ou seja, a Consulta Previdenciária nada mais é do que um serviço que deve prezar pelo seu conforto, tranquilidade, segurança e principalmente autonomia, te equipando e informando para que você esteja preparado para enfrentar o INSS na hora certa. 

Meu conselho, mais uma vez, é que você observe se o seu advogado analisou profundamente seus documentos, realizou cálculos baseados no seu histórico de trabalho e está tendo uma conversa franca com você. 

Se você já conferiu isso, ótimo!

Agora você precisa confiar na experiência desse especialista e seguir as orientações dele, afinal, foi para isso que você pediu ajuda dele.

E eu sei, é difícil ouvir que é necessário esperar, que ainda não há direito de se aposentar…

Mas, é melhor aguardar estando com tudo ao seu favor, do que se aventurar no INSS com tudo contra você. 

5º Motivo | Invista em 1 consulta e economize 1 processo

Como eu disse para você anteriormente, o diagnóstico de um processo previdenciário na Justiça deve ser a última opção de um especialista durante uma Consulta Previdenciária

E agora neste quinto motivo você vai entender o porquê…

Mas antes, uma palavra que resume os inúmeros benefícios desse serviço é prevenção.

A consulta é versátil para você que quer evitar erros no INSS, evitar retrabalho ou incansáveis meses e até anos esperando um benefício que não chega ou chega com valores errados. 

Aqui no escritório Ingrácio, nós também atendemos trabalhadores que já tiveram benefícios negados pelo INSS, e viram na nossa Consulta Previdenciária uma oportunidade de fazer diferente do que na primeira vez, evitando os mesmos erros do passado, seja por:

  • falta de documentação da qual não sabia que era necessária;
  • documentação incompleta ou com informações erradas;
  • falta de uma análise profunda e com cálculos exclusivos;
  • ou por ter realizado pedido para um benefício que não tinha direito. 

Isso significa que esse serviço é aconselhado tanto para aqueles que estão iniciando a busca pela aposentadoria, quanto para aqueles que já tiveram experiências não tão agradáveis no INSS. 

Geralmente a Consulta Previdenciária é feita em formato de conversa com duração de 1 hora, mas o especialista se dedica ao seu caso muitas horas antes de entrar em contato com você…

Antes de conversar com você, o seu advogado está executando as seguintes etapas:

  • análise dos documentos iniciais e solicitação de um documento extra (caso seja necessário);
  • realização de cálculos completos do seu tempo de trabalho e contribuição;
  • simulações coerentes dos possíveis valores que você pode receber;
  • projeções dos benefícios mais favoráveis;
  • e finalmente do compartilhamento de todas essas informações com você, com a entrega de soluções para as mais diversas situações. 

Mas, você pode estar se perguntando: como isso vai evitar que eu precise de um processo judicial?

Pense comigo, horas de estudo dedicados ao seu caso e uma conversa aberta e esclarecedora em 1 hora faz com que você evite ficar meses ou anos lutando contra o INSS na Justiça. 

Ao dizer sim para uma Consulta Previdenciária, você vai entender qual benefício é o correto, quais documentos procurar e quais valores esperar, não ficando à mercê da sorte ou de uma aposentadoria injusta.

Então, antes de contratar qualquer serviço previdenciário, coloque na balança: “devo pedir ajuda especializada ou prefiro arriscar tudo e ver até onde chego sozinho?”

Se você conseguiu perceber essa lógica de prevenção, então você entendeu que é mais vantajoso investir em uma consulta, porque com esse preparo você estará economizando em um processo judicial, que na maioria das vezes nem é necessário

O que acontece na consulta do Ingrácio?

Você teve acesso aos motivos transparentes pelos quais você precisa de uma Consulta Previdenciária

Com esses minutos em que me acompanhou nesta leitura, você viu que sempre há uma opção melhor ou menos dolorosa para o seu caso.

Te apresentei o que esperar de um serviço sério, experiente e profissional, no qual você merece. 

o Ingrácio oferece um serviço pensado para os trabalhadores que desejam ter uma aposentadoria justa e digna no futuro.

Isso porque oferecemos o Planejamento Previdenciário, um serviço que inclui uma consulta, mas que é muito mais completo!

Ficou curioso? Então vou te contar como funciona o Planejamento Previdenciário do Ingrácio.

4 etapas do Planejamento Previdenciário

1ª etapa – Investigamos a fundo seus direitos

Você recebe um formulário com perguntas fundamentais que nos ajudam a descobrir todos os seus direitos, mesmo aqueles que você nem desconfia que possui.

Isso faz com que te entreguemos um serviço altamente exclusivo.

2ª etapa – Realizamos um estudo completo da sua vida previdenciária

Nós analisamos todas as dúvidas e escaneamos com nosso olhar clínico toda a sua documentação.

Investigamos a fundo, realizamos cálculos e simulações para estudar suas possibilidades, fazendo projeções de benefícios previdenciários, possibilidades de revisões e/ou ações judiciais que podem fazer você ganhar um bom dinheiro.

3ª etapa – Conversamos francamente com você

Além de todo esse estudo, nós reservamos para você uma consulta com o Advogado Especialista responsável pelo seu caso.

Neste momento, você terá acesso aos cálculos de todo seu histórico de trabalho, o que inclui análise de tempo de contribuição e simulações de data e valores de aposentadoria, ou seja, você recebe uma previsão completa dos seus direitos.

4ª etapa – Tiramos todas as suas dúvidas restantes.

Depois de receber todas as informações e opções do seu caso, nós te damos um período para sanar qualquer ponto ou dúvida que você tenha tido depois da consulta. 

Ou seja, o planejamento previdenciário é o estudo da sua vida contributiva (seja você trabalhador do INSS ou servidor público), que abrange a análise das atividades desenvolvidas, salários de contribuição e projeções futuras.

Dessa forma, você não perde tempo e dinheiro, consegue organizar seu futuro previdenciário e evita erros no momento da aposentadoria.

Toda essa estrutura foi criada para suprir as necessidades dos clientes, proporcionando, assim, uma satisfação completa e profunda, resultando soluções mais eficazes para você.

Nós atuamos presencialmente na cidade de Curitiba, no Paraná, e de forma online para todo o Brasil e Exterior.

Você pode escolher a melhor opção!

Reafirmamos nossa responsabilidade com você e com todos aqueles que buscam nossa ajuda.

Lembramos que esse serviço não é para aqueles que querem uma análise superficial, pouco eficaz e com cálculos imprecisos.

Pelo contrário, nosso Planejamento Previdenciário é para aqueles que desejam:

  • ter tudo preparado da forma correta para se aposentar. E detalhe: mesmo depois da Reforma da Previdência isso é possível;
  • ter uma caminhada segura e sem dúvidas sobre quais são seus direitos;
  • ter autonomia no momento do pedido no INSS e realizar esse procedimento sozinho, e melhor: sem erros;
  • e além de tudo, ter as informações corretas sobre seus direitos, cálculos e orientações completas sobre os próximos passos. 

O que você descobriu neste conteúdo

Me acompanhando nesses minutos, você descobriu quais são os reais motivos pelos quais todos os trabalhadores deveriam passar por uma Consulta Previdenciária antes de iniciar qualquer coisa no INSS.

Além disso, você conferiu a importância de ter todas as informações certas nas suas mãos, e também viu que a Consulta Previdenciária te previne de cometer erros comuns ou imperceptíveis aos olhos do trabalhador. 

O maior legado deste serviço é te apresentar uma diversidade de opções e soluções, não só um pedido, não só um benefício, não só um processo.

Muito mais do que isso, nós damos à você uma opção de escolha, e, é claro, sempre a mais vantajosa para o seu caso.

E nós queremos continuar te ajudando nesta caminhada, por isso, estamos toda semana aqui no Blog, Youtube e Newsletter, trazendo à você conteúdos completos e especializados do Mundo Previdenciário.

Continue com a gente em nossos canais!

O Papel do Advogado Previdenciário no Processo de Aposentadoria

O Papel do Advogado Previdenciário no Processo de Aposentadoria

O advogado previdenciário pode ser seu grande aliado na busca pela sua aposentadoria, principalmente se você precisar buscar os seus direitos por vias judiciais.

Em 2019, mais de 80% dos processos judiciais contra o INSS não tiveram o resultado favorável para os segurados.

E para você não fazer parte desta triste estatística, veja qual é o papel do advogado previdenciário no processo judicial e como ele adianta e evita erros.

Neste post eu vou te mostrar como esse profissional pode ser uma mão na roda antes e durante o seu processo, para que ele não seja um momento trágico para sua aposentadoria…

Antes de mais nada, o processo judicial é recomendado para quem possui contribuições atrasadas, atividades rurais, períodos no exterior, atividades especiais e períodos de trabalho sem comprovação. 

E o bom advogado é aquele que incentiva você estar preparado para qualquer situação no INSS e no processo judicial, porque ele se preocupa com os mínimos detalhes e números, zelando pelo seu sucesso independente se você precisa ou não de um processo na justiça…

Agora você vai conferir o porquê do advogado ser muito importante para o processo de aposentadoria, pois ele:

1. Analisa todo seu histórico de trabalho

Posso afirmar uma coisa: seja precavido, isso evita muita dor de cabeça no futuro!

Isso inclui estar preparado antes mesmo de iniciar um processo judicial logo de cara.

São milhares de trabalhadores e empresas que não fazem o preenchimento correto ou não conservam de forma adequada os documentos trabalhistas e previdenciários.

E isso é muito grave, porque afeta diretamente o pedido da sua aposentadoria no INSS ou no seu futuro processo.

Sendo assim, o essencial mesmo é se precaver e prestar bastante atenção nos documentos que você tem, como por exemplo:

Mas como infelizmente isso não é uma prática muito comum, você precisa recorrer a um advogado previdenciário para analisar seu histórico de trabalho e te ajudar com a sua documentação.

É ele quem irá fazer um escaneamento completo das suas contribuições, empresas em que trabalhava, entender quais eram suas condições de labor, atividades e muito mais. 

Além disso, essa etapa é crucial para você entender o que é preciso ser feito antes mesmo de ir até o INSS. 

Vejo muitas pessoas que antes de me procurarem já tinham feito pedidos de aposentadoria, e a maioria delas tiveram um benefício negado ou com um valor muito incorreto, deixando mais uma vez bem visível a importância de ser precavido.

O advogado previdenciário é o profissional ideal para te ajudar a entender como está sua situação na Previdência Social e te oferecer a assistência necessária do início ao fim de sua aposentadoria, facilitando que se houver a necessidade de um processo judicial, você estará preparado. 

No primeiro momento ele irá em busca de informações valiosas.

Carteira de trabalho e CNIS

Esses documentos podem ser os verdadeiros vilões ou heróis da sua aposentadoria, e quem vai identificar se eles são bons ou não é o seu advogado. 

Começando pela carteira de trabalho, tão comum entre os trabalhadores da iniciativa privada. 

E justamente por esse documento ser comum, que ele se torna motivo de despreocupação, estando muitas vezes incompleto, com informações erradas, ou até mesmo cheios de rasuras ou em mal estado. 

Com a sua carteira de trabalho, seu advogado consegue ver:

  • a comprovação das suas contribuições e o atraso de alguma delas;
  • se existe alguma empresa que você trabalhou que já faliu; 
  • as informações dos seus empregadores.

Caso você não tenha carteira ou ela esteja rasurada, seu advogado pode agilizar com você alguns documentos para comprovar eventuais vínculos de trabalho e/ou contribuições, como, por exemplo, o Registro de Massa Falida, comprovantes de FGTS e a Relação Anual de Informações Sociais. 

Outro documento que seu advogado vai avaliar é seu Cadastro Nacional de Informações Sociais, o famoso CNIS.

Hoje em dia ele é um dos documentos mais importantes que você tem, porque é nele que você encontra todos os seus dados de vínculos de trabalho e de atividades exercidas. 

Se o CNIS estiver incompleto, o advogado consegue identificar se há necessidade de uma documentação complementar.

Ele vai investigar se você trabalhou em atividades insalubres ou perigosas, se precisa solicitar testemunhas a seu favor ou encontrar outras estratégias que podem evitar eventuais erros no momento do seu processo.

PPP – O advogado consegue salvar sua aposentadoria especial

Mais um documento que o advogado fica atento antes de entrar com um processo no INSS é o seu Perfil Profissiográfico Previdenciário.

Assim como nos outros dois documentos citados acima, o PPP geralmente vem incompleto ou com informações incorretas sobre suas atividades e isso pode gerar uma dor de cabeça enorme se você exerceu atividades especiais.

Sem o seu PPP e sem a ajuda de um advogado, é quase impossível obter um processo judicial para Aposentadoria Especial.

Seu advogado com esse documento consegue ter um projeção do que o INSS irá exigir para ter o seu benefício concedido.

Por isso é tão importante estar sempre um passo à frente do que será exigido.

Você conferiu como a ajuda de um advogado antes de seu processo é essencial, porque ele evita erros futuros no INSS e te dá mais segurança durante esse momento. 

Esse profissional, quando analisa todos os seus documentos iniciais, evita que:

  • você leve uma documentação incompleta no INSS;
  • você inicie um processo sem as exigências necessárias;
  • você tenha processo negado ou com valores incorretos.

Seu advogado garante que você tenha informações valiosas sobre sua situação previdenciária, projetando assim, um processo mais rápido e uma boa aposentadoria no futuro. 

Deixando meu claro que este momento ocorre em uma consulta previdenciária.

É este serviço que descobre a fundo o que está acontecendo, se você precisa ou não de processo judicial.

2. Ajuda a cumprir suas exigências

No tópico anterior você viu como o advogado previdenciário, com toda sua especialização e experiência, consegue enxergar detalhes que comprometem ou salvam sua aposentadoria.

Antes de pensar em ir direto para o processo judicial contra o INSS, saiba que isso não é possível, porque primeiro você precisa passar pela fase do Processo Administrativo, que é obrigatória.

E sendo bem honesta com você, para iniciar o Processo Administrativo não é obrigatório um advogado te acompanhando (você pode fazer isso sozinho).

Porém, os principais erros acontecem aqui, fazendo com que você tenha um benefício negado administrativamente e tendo que recorrer à justiça.

A partir daí é obrigatório que você tenha um advogado te representando.

Como funcionam as exigências do INSS?

Durante o Processo Administrativo a etapa mais delicada é o momento de cumprir as exigências do INSS

E ter um advogado junto com você, mesmo que não seja obrigatório, é essencial para salvar sua pele, porque ele com anos de experiência, conhece como o INSS funciona e como conseguir como documentação exigida. 

Essa etapa se inicia quando a Carta de Cumprimento de Exigências é entregue ao segurado após o requerimento de aposentadoria.

Esta entrega é devidamente registrada no sistema digital do INSS

A carta representa que o INSS está solicitando mais documentos para serem analisados durante o processo. 

Depois que receber esta carta, você terá apenas 30 dias para cumprir as exigências, se você não der nenhuma resposta ao INSS, ele entenderá que desistiu.

Assim, o Instituto arquivará o seu Processo Administrativo e você vai precisar iniciar tudo do zero. 

Por isso é tão importante contar com a ajuda de um advogado antes mesmo de iniciar qualquer coisa com o INSS

Porque pense comigo: não é uma boa ideia iniciar sozinho um processo administrativo.

Imagine não ter ajuda alguma, não saber se existem documentos ou períodos de trabalho faltando…

Isso só faria você perder tempo, dinheiro e expectativas em algo que já começou errado. 

Neste momento crucial das exigências, pode ser que você se encontre nas seguintes situações:

  • precisa comprovar alguma documentação;
  • precisa comunicar que não existe possibilidade de algum documento ser entregue;
  • precisa solicitar mais tempo (até 30 dias) para entregar os documentos;
  • precisa incluir testemunhas no seu processo. 

Essas são as possibilidades que você pode se deparar a partir do momento que você recebe sua carta.

Mas em todas essas é necessário realizar um requerimento comunicando que a exigência será ou não cumprida

E em todos os casos o advogado previdenciário deve tomar as decisões necessárias, buscando constantemente cumprir tudo que o INSS solicita

Agora, se você já conta com a ajuda deste profissional bem antes de ter entrado com algum processo, essa fase será mais tranquila, porque o seu advogado já estudou seu caso e conhece as suas necessidades

Lembrando que o INSS contabiliza 30 dias para que você cumpra as exigências que ele solicitou, depois disso o processo é arquivado. 

Agora uma dica valiosa para você: não procure um advogado no último minuto do segundo tempo, uma vez que documentação é algo muito burocrático e que pode levar um tempo para que ela seja encontrada, o que pode impedir que você tenha uma aposentadoria aprovada e justa.

Neste tópico você viu que a ajuda de um advogado especialista é essencial mesmo antes de um processo na justiça, porque ele evita que você cometa erros desnecessários.

Agora você vai descobrir qual é o papel do advogado previdenciário no seu processo na Justiça.

Me acompanhe!

3. Adianta sua aposentadoria   

Nos tópicos anteriores você conferiu como o papel do advogado previdenciário evita que você cometa erros antes de entrar na Justiça contra o INSS. 

Mas agora você vai entender como esse profissional adianta (e muito) o seu processo de aposentadoria e faz com que o INSS não decida por quanto tempo deve você vai ficar esperando por ele. 

E como um bom exemplo sempre é bem-vindo e traz mais segurança para você, eu vou contar como funcionam as coisas aqui no Ingrácio.

Nós, como escritório de Direito Previdenciário, estamos investindo incansavelmente em trazer inovação em todos nossos serviços, desde a consulta previdenciária até o processo judicial, planejando sempre uma aposentadoria correta e sem dores de cabeças para nossos clientes. 

Isso porque fazemos um Planejamento Previdenciário Completo aqui no Ingrácio, o que dá ao cliente mais calma e segurança na hora de requerer uma aposentadoria.

Para isso, aplicamos 3 métodos essenciais que vão ajudar você conseguir sua aposentadoria de uma forma mais rápida. São eles:

1º – Petição Administrativa exclusiva

Neste primeiro método nós fazemos questão de juntar toda a sua documentação para uma Petição Administrativa.

Essa Petição é feita na fase do requerimento administrativo de aposentadoria no INSS e aumenta suas chances de ter uma aposentadoria concedida.

Mesmo que ela não seja um documento obrigatório, ela mostra todos os seus direitos e qual será o melhor benefício para você. 

E melhor, a Petição Administrativa ajuda na análise do INSS, o que diminui os erros de interpretação do Instituto e a necessidade de haver uma carta de exigência complexa e demorada.

O que é incrível, porque você evita ficar esperando meses e até anos na fila do Sistema Previdenciário

2º – Mandados de Segurança

Como segundo método, nós realizamos Mandados de Segurança. Eles podem adiantar em mais de 10 meses seu processo no INSS, que antes estava parado.  

Este documento é um processo judicial que obriga legalmente o INSS a dar uma resposta ao seu caso. 

Nós fazemos isso porque sabemos o quanto esperar sem nenhum resposta é angustiante para você.

Fazemos questão de deixar bem claro que o Mandado de Segurança não é uma garantia de benefício concedido, mas uma certeza de que seu processo não ficará na gaveta para o esquecimento.

3º – Prazos internos curtos

Agora, sendo bem honesto com você, nós advogados não conseguimos controlar os prazos dos Juízes, e nem sempre os prazos do INSS. 

Por outro lado, aplicamos métodos ágeis e seguros para cumprirmos nossas tarefas com maior velocidade possível.

Garantido assim prazos cumpridos com uma média de 5 dias ou menos. Isso com certeza agiliza muito o seu processo, porque cooperamos para que tudo saia como o esperado pelo cliente. 

Você acabou de compreender como é possível sim não ficar nas mãos do INSS e ainda ter uma aposentadoria, correta e no tempo certo!

Incrível as oportunidades que só um especialista em previdenciário consegue encontrar, não é mesmo?

5. Resumindo 

Com este post você conseguiu ter uma visão completa de como um advogado previdenciário pode te ajudar, e muito…

Antes do processo judicial, com o auxílio dele, você consegue:

  • identificar suas necessidades antes mesmo de dar início ao seu processo;
  • precaver, solucionar as exigências do INSS e evitar erros.

Durante o processo de aposentadoria, com o auxílio dele, você consegue:

  • preparar um processo (judicial ou administrativo) com a documentação correta;
  • preparar para enfrentar a análise do INSS;
  • diminuir o tempo de espera na fila do INSS. 

E o mais importante, você conseguiu perceber quais são os reais motivos para pedir ajuda de um advogado previdenciário no momento certo e de forma segura

Mas para ser sincero com você, quando decidi escrever este post, eu pensei em todas as pessoas que estão sem conhecer qual é sua situação previdenciária, se elas necessitam ou não de um processo judicial… 

Por isso eu e o Ingrácio vamos continuar aqui, fazendo o possível para te manter atualizado sobre os seus direitos e necessidades

Plano de Aposentadoria

Cuidamos da sua Aposentadoria do início ao fim. Somos especializados em aposentadorias no INSS e Servidores Públicos com atendimento online em todo o Brasil e Exterior.

Quero saber