Quando a sua Aposentadoria Pode ir Parar na Justiça? Como Fazer?

Quando a sua Aposentadoria Pode ir Parar na Justiça? Como Fazer?

Quase ninguém nos dias de hoje gosta de ir à Justiça para resolver os seus problemas…

É um bom tempo de demora até a resposta final do Judiciário, algumas custas processuais a serem pagas, dependendo do caso, além de toda burocracia existente em todos os procedimentos.

Com as aposentadorias e demais benefícios previdenciários não é diferente.

O segurado sempre quer evitar ir ao Judiciário para ter que conseguir o seu benefício, principalmente por se tratar de algo urgente à pessoa.

Porém, existem alguns casos que é quase certo que você terá que judicializar o seu pedido para conseguir o tão sonhado benefício.

Quer saber quais são esses casos? Continue aqui comigo, pois você entenderá:

1. Por que as aposentadorias vão parar na Justiça?

Respondendo prontamente: por culpa do próprio INSS ou do segurado.

Quando a culpa é do segurado?

A culpa é do trabalhador (segurado) quando ele não junta todos os comprovantes do seu direito ao benefício.

Desta maneira, o Instituto nega o pedido da pessoa por razões óbvias.

Por exemplo, imagine os pais de um segurado que faleceu.

Eles irão requerer uma Pensão por Morte, pois dependiam financeiramente do filho que veio a óbito.

Caso você não saiba, neste caso, é preciso comprovar dependência econômica com o falecido.

Aí imagine que os pais somente juntam poucos comprovantes desta dependência.

É quase certo que o INSS irá indeferir o pedido de Pensão por Morte para estes dependentes.

Portanto, dependendo do caso, é a própria pessoa a responsável por ter seu benefício negado.

Quando a culpa é o do INSS?

Agora, mudando de lado, o INSS é culpado em indeferimento de benefícios quando não faz a análise aprofundada de todos os documentos juntados ao requerimento administrativo.

Como todo mundo deve saber, o Instituto sempre está abarrotado com vários requerimentos de benefícios.

Portanto, é até comum o INSS pecar em analisar os pedidos dos segurados.

Outra razão do INSS indeferir muito os benefícios é em relação ao posicionamento de alguns temas previdenciários.

Já vou falar mais para frente disso, mas nem sempre o Instituto e o Judiciário possuem o mesmo entendimento sobre determinado do tema da Previdência.

Deste modo, ocorrem vários indeferimentos por parte do INSS.

Às vezes até o próprio segurado sabe que o Instituto irá negar o benefício, mas eles fazem isso para logo recorrer para a Justiça, que é exatamente sobre o que eu vou falar no último tópico.

Agora que você já sabe de quem é a “culpa” nos indeferimentos dos benefícios, vamos em frente.

2. O INSS possui os mesmos posicionamentos que a Justiça?

teto-do-inss-previdencia

Então, na maioria das vezes não.

O Instituto Nacional do Seguro Social é uma autarquia federal, pertencente à Administração Pública.

Como eles são parte da própria Administração Pública, eles só podem aplicar o que está descrito em lei ou em regimento do próprio INSS (Instruções Normativas, por exemplo).

No Direito, este proceder está atrelado ao chamado Princípio da Legalidade.

Caso os servidores do Instituto façam algo que está fora das normas descritas, corre-se o risco de dar decisões “sem sentido”, o que pode gerar problemas de responsabilidade para estes trabalhadores do INSS.

É por essa questão que os Temas Repetitivos de Controvérsia da Turma Nacional de Uniformização (TNU), Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Supremo Tribunal Federal (STF) não têm aplicabilidade direta no INSS.

Eu sempre reforço isso nos conteúdos que escrevo, mas estes posicionamentos são aplicados somente na esfera judicial.

Aí depende do Governo Federal (ou do próprio INSS) criar normas (como Portarias, Instruções Normativas) para ficar de acordo com os posicionamentos dos tribunais.

Agora o que temos que fazer é esperar a boa vontade do INSS em fazer isso.

Pois veja bem, quanto mais rápido eles fizerem isso, mais benefícios são resolvidos e menos aciona-se Justiça (que, por sinal, sempre está com muitos processos pendentes de julgamento).

É meio que um efeito cascata!

Mas claro que existem alguns temas que o INSS e a Justiça tem o mesmo entendimento, mas não é a regra geral.

3. Casos que é quase certo que terão que ir para a Justiça

Existem algumas matérias previdenciárias e até benefícios que são quase certo que precisarão de uma análise da Justiça, porque, provavelmente, o INSS irá os indeferir.

Vou explicar melhor agora:

Aposentadoria Especial e/ou períodos de atividade especial

aposentadoria-especial-reforma

Em 80% das vezes, o INSS indefere ou a Aposentadoria Especial ou período de atividade especial.

Caso você não saiba, esta aposentadoria é devida para os segurados que trabalharam expostos a agentes insalubres à saúde ou perigosos.

Estas atividades são consideradas especiais.

Portanto, é muito comum que o segurado tenha trabalhado toda sua vida em atividades especiais ou até mesmo durante pouco tempo.

Pelo menos até a Reforma, a Aposentadoria Especial era muito boa, pois requeria 25, 20 ou 15 anos de atividade especial, dependendo do trabalho exercido.

E o melhor: não existia uma idade mínima para conseguir o benefício.

Agora, com a Reforma, é necessário cumprir uma pontuação mínima (Regra de Transição) ou uma idade mínima (Regra Definitiva), além dos tempos de atividade especial citados.

Conversão de tempo especial em comum

Porém, quem trabalhou parte de sua vida em atividades insalubres ou perigosas, pode converter este tempo, mediante uma contagem diferenciada, para tempo de contribuição comum.

Aviso: esta conversão só pode ser feita para as atividades especiais exercidas até o dia 12/11/2019.

Isso porque a Reforma extinguiu a possibilidade desta contagem diferenciada destas atividades a partir da vigência da norma.

Voltando ao assunto: como estamos falando de períodos de atividade especial, existem várias maneiras de se “medir” a insalubridade ou periculosidade.

Dependendo do agente, só o fato da pessoa estar em contato com determinada substância química já garante a especialidade da atividade (por exemplo, amianto e chumbo), o chamado agente qualitativo.

Porém, o INSS, às vezes, não utiliza os mesmos parâmetros que a Justiça.

Por exemplo, o entendimento do Instituto quanto à utilização do Equipamento de Proteção Individual (EPI) é bem mais restrita que a Justiça.

Em alguns casos, o INSS considera que a utilização do EPI já é capaz de neutralizar o agente nocivo.

Nós sabemos que isso não é a realidade de muitas atividades.

Exatamente por isso o INSS indefere tantos pedidos de Aposentadoria Especial ou de conversão de períodos de atividade especial para comum.

Auxílio Doença e Aposentadoria por Invalidez

Estes dois são considerados Benefícios por Incapacidade, uma vez que só são concedidos se o segurado encontra-se incapaz para o trabalho.

No caso do Auxílio Doença, é necessário que a pessoa tenha uma incapacidade total e temporária para o trabalho.

Nesta hipótese, o segurado irá se recuperar no futuro, em regra, mas pode ocorrer que a situação da pessoa piore e ela possa ser aposentado por invalidez.

Já a Aposentadoria por Invalidez é concedida aos segurados que estão incapacitados de forma total e permanente para o trabalho.

Nesta situação, não existe a possibilidade de recuperação do segurado, inclusive em outras profissões.

Para constatar a situação de incapacidade para fins de algum dos Benefícios por Incapacidade, é inevitável a realização de uma perícia médica no INSS.

É o médico do Instituto que verificará toda a documentação médica do segurado e fará um exame com ele.

A partir disso, ele poderá dar três respostas:

  • atestar pela capacidade total do segurado, hipótese esta que o benefício será negado;
  • atestar pela incapacidade total e temporária do segurado, hipótese esta que o Auxílio Doença será concedido, caso ele cumpra os outros requisitos;
  • atestar pela incapacidade total e permanente do segurado, hipótese esta que a Aposentadoria por Invalidez será concedida, caso ele cumpra os outros requisitos.

Observação: se você fizer um requerimento de Auxílio por Invalidez e o perito atestar que você está incapaz de forma total e temporária, você receberá o Auxílio Doença.

Agora, se você pediu um Auxílio Doença e a perícia atestou incapacidade total e permanente para o trabalho, você receberá a Aposentadoria por Invalidez.

Ou seja, independente do benefício requerido, você receberá aquele de acordo com a sua situação de saúde.

Porém, a maioria dos casos os peritos médicos não são especializados nas enfermidades dos segurados.

Por exemplo, pode ser que um médico clínico geral faça a perícia de alguém que sofre com transtornos psicológicos.

Em regra, este profissional não possui um conhecimento aprofundado na doença que o segurado.

Portanto, a perícia médica fica a mercê de suposições ou até a parcialidade do médico, e isso é algo inaceitável.

Para ser totalmente justo com o segurado, é necessário um profissional médico que entenda muito bem da lesão ou doença que a pessoa sofre para, então, ter um resultado coerente com a realidade.

É geralmente na Justiça que os juízes chamam um médico especialista na doença em discussão para verificar a incapacidade do segurado.

Portanto, por muitas vezes o Auxílio Doença e a Aposentadoria por Invalidez vão para o Judiciário.

Aposentadoria Rural e/ou períodos rurais

A vida e o trabalho no campo não são fáceis.

Muita gente começa a trabalhar em lavouras, por exemplo, desde criança, fazendo com que a pessoa perca, praticamente, toda a infância.

Uma parcela da parte da população que mora no campo é mais humilde, sem muitas condições.

É exatamente por isso que os segurados especiais, aqueles que tiram o seu meio de vida aquela atividade (como produtores rurais, indígenas, pescadores artesanais, etc.), tem uma atenção especial da Previdência Social.

É garantida uma aposentadoria com requisitos mais simples, com exigências mais suaves em relação à aposentadoria urbana.

Estas exigências mais suaves se referem, principalmente, na forma de comprovação da carência exigida para o benefício.

Como é pouco provável que os segurados especiais reúnam documentos que comprovem suas atividades de forma evidente, relativiza-se um pouco a forma de comprovação das atividades rurais do trabalhador.

Porém, por muitas vezes, não é isso que acontece na prática.

Às vezes o INSS é muito rigoroso e criterioso na avaliação da atividade rural do segurado especial.

Além disso, há uma discussão no INSS que somente são considerados segurados especiais as pessoas com 14 anos de idade ou mais.

Já a Justiça (principalmente o STJ) não estabelece um limite de idade, mas claro, com coerência: não vamos esperar alguém com 4 anos de idade um segurado especial.

Enfim, disse tudo isso para te explicar que a comprovação dos períodos como segurado especial e aposentadoria rural para estes trabalhadores é um pouco trabalhosa dentro do INSS.

Na Justiça, o entendimento é muito mais favorável a estes segurados.

Para te auxiliar nessa parte (e tentar evitar a Justiça), o Ingrácio tem um conteúdo completo ensinando como comprovar a atividade rural no INSS.

4. Como entrar na Justiça para se aposentar?

O primeiro passo para poder entrar na Justiça para se aposentar é ter seu benefício indeferido ou deferido parcialmente no INSS.

Isso porque somente é possível acionar o Judiciário após a negativa do benefício ou de algum período controverso pelo Instituto.

A competência para o julgamento das demandas previdenciárias, em regra, é da Justiça Federal.

Caso o valor da sua ação não seja superior a 60 salários mínimos, a competência será do Juizado Especial Federal (JEF), onde, teoricamente, o processo é mais rápido.

Caso contrário, o processo irá para a Vara Federal da Justiça Federal da sua região.

Preciso de um advogado para entrar na Justiça?

Você não precisará de advogado se o seu processo for para a JEF (exceto se houver recurso).

Agora, se a sua ação ultrapassar o valor de 60 salários mínimos, você precisará, obrigatoriamente, contar com uma ajuda deste profissional.

Sempre indicamos você contar com um advogado especialista em Direito Previdenciário em seu processo, pois é ele quem tem toda a experiência em conduzir a ação da melhor forma para você.

Você já está na reta final para conseguir o seu tão sonhado benefício.

Por que não investir um valor para ficar mais tranquilo em relação a sua situação, não é mesmo?

Após contratar um advogado da sua confiança, ele analisará toda a sua documentação e verificará se precisa de mais alguma coisa.

Depois de tudo ficar certo, o profissional entrará com a ação na Justiça Federal.

Quanto tempo minha aposentadoria ficará na justiça?

Em média, o processo na primeira instância dura entre 18 a 20 meses, podendo ser menos, dependendo da situação.

Geralmente, o processo conta com:

  • oitiva de testemunhas;
  • perícia médica ou no local do trabalho;
  • solicitação de comprovantes adicionais.

Se for necessário todos estes pontos na sua ação, o processo tende a demorar mais: 20 meses.

Caso contrário, pode durar menos.

Geralmente, também há recursos para o Tribunal Regional Federal ou Turma Recursal (quando o processo originário vier da JEF).

Se houver recurso, o processo demorará mais, entre 6 a 24 meses.

Excepcionalmente, a sua ação pode ir para os tribunais superiores (STJ e/ou STF), o que acrescentará entre 12 a 60 meses no prazo de julgamento do seu processo.

Fiz essa tabela para você entender melhor:

SituaçãoTempo
Primeira instância18 a 20 meses
Recurso para TRF ou Turma Recursal6 a 24 meses
Recurso para STF e/ou STJ12 a 60 meses

Caso você queira saber mais como funciona o processo judicial na Justiça Federal, ou até como funciona o processo dentro do INSS, o Ingrácio tem um conteúdo completo sobre o tema.

Conclusão

Sei que muitos segurados odeiam o INSS, e é óbvio, qualquer pessoa ou qualquer “serviço” terá seus defeitos.

Com o Instituto não é diferente.

A todo momento, eles estão tentando melhor, seja fazendo um mutirão para analisar os benefícios previdenciários ou criando serviços para atender melhor os segurados.

Com certeza eles tem um bom caminho pela frente mas, por um lado, é bom ver que eles estão se mexendo para fazer algo.

Especificamente sobre os benefícios previdenciários, cabe novamente dizer que o INSS está totalmente atrelado ao Princípio da Legalidade.

É exatamente por isso que a posição da jurisprudência e do Instituto não são os mesmos.

Devemos esperar que eles deem atenção aos casos que citei no último tópico para que haja uma maior rapidez na análise dos benefícios previdenciários e para desafogar o Poder Judiciário.

E então, sabia que tinham alguns casos específicos que era bem provável que iriam para a Justiça?

Conhece alguém está entre os casos citados acima? Compartilhe este conteúdo por Whatsapp.

Você pode ajudar muita gente.

E, por último, peço que assine a nossa Newsletter para ficar por dentro de tudo que o Blog do Ingrácio disponibiliza para vocês.

Um abraço 🙂

10 Perguntas Para Fazer ao seu Advogado Previdenciário antes da Consulta

10 Perguntas Para Fazer ao seu Advogado Previdenciário antes da Consulta

Você ainda está em dúvida se precisa ou não de ajuda no seu caso previdenciário? É para isso que o advogado previdenciário existe!

Eu sei, escolher um profissional que faça a diferença não é fácil, mas se você está nessa saga, é melhor você conhecer as 10 perguntas infalíveis que você deve fazer ao seu Advogado Previdenciário antes de contratá-lo.

É por isso que eu vim aqui hoje! Pois quero te ajudar nesse primeiro contado com um advogado previdenciário e que o seu atendimento seja o melhor possível!

Veja o que você vai encontrar aqui:

Pergunta 1 – Quais casos o seu advogado previdenciário atende?

Confira se ele entende sobre sua necessidade!

Não tenha vergonha de perguntar sobre o ramo de atuação do advogado que você está tento o primeiro contato, na verdade, não tenha vergonha de perguntar nada que eu sugiro aqui neste post! hehe

É essencial que o seu advogado tenha especialização em Direito Previdenciário ou que atenda diariamente casos previdenciários, só assim ele saberá o caminho das pedras do seu caso e como solucionar problemas específicos da área. 

Além disso, é bem importante perguntar qual área do direito previdenciário ele atende com mais frequência, uma vez que não adianta somente ser um profissional do ramo previdenciário, é necessário compreender sobre benefícios e profissões específicas, ok?

Veja aqui no Ingrácio: nós somos especialistas em Direito Previdenciário e trabalhamos exclusivamente com casos desse ramo, mas, além disso, nós temos advogados que são direcionados para algumas áreas. 

Como é o exemplo da nossa especialista Regiane Reguelim, que atende casos distintos, mas é referência aqui no Ingrácio quando falamos em aposentadoria do servidor público.

Sendo assim, quando um servidor entra em contato conosco, é muito provável que seja ela a cuidar do caso dele. Legal, né?

Isso garante uma eficiência maior nos atendimentos e uma solução mais profunda dos seus problemas!

Mas claro, em todos os casos (aposentadorias, profissões e benefícios), nós investimos e incentivamos todos nossos advogados e advogadas a se especializarem. Assim estamos 100% prontos para receber os mais diversos clientes. 🙂 

Uma dica legal: questione também como o seu advogado previdenciário se mantém atualizado e como são os seus estudos sobre a área.

Pergunta 2 – Quais serviços o seu advogado previdenciário realiza? Pergunte qual é o melhor para você

Essa é uma ótima questão, pois um escritório e advogado previdenciário que sempre está pensando no cliente não oferece apenas consultas previdenciárias ou só fechamento de processos judiciais

Pelo contrário, quando o profissional pensa em cada uma das suas necessidades, ele irá oferecer serviços que melhor irão te suprir. 

Não adianta eu querer que você assine um contrato de processo judicial sendo que você pode solucionar seus problemas com apenas uma consulta e realizar todo pedido de aposentadoria ou benefício sozinho. 

Ou ainda, não posso lhe prometer soluções rápidas e rasas se o que você precisa mesmo é de um planejamento concreto, profundo e exclusivo.

Claro, nem sempre o valor do serviço é o que mais agrada, às vezes você pensa ser apenas uma solução rápida e que será um valor baixo, porém o melhor nem sempre é o mais rápido e o mais atrativo para nosso bolso

Desculpe se eu fui muito honesta, mas estou apenas pensando na qualidade do seu atendimento e benefício final! 🙂

Por isso é importante que você conheça e receba uma explicação de cada serviço oferecido pelo seu futuro advogado. 

Se você só conhece a consulta previdenciária, tudo bem, ela é a mais comum mesmo,

Mas vou aproveitar e vou deixar agora uma lista dos serviços que o Ingrácio oferece, assim você vai entender a variedade dos serviços previdenciários. Confira:

Serviço voltado para você que precisa conhecer o seu caso ou descobrir uma solução especializada para seu problema. Este atendimento pode ser presencial e à distância, no Brasil e exterior.

Organizamos e preparamos uma pré-aposentadoria, com objetivo de auxiliar na sua busca por um benefício rápido e com o melhor valor possível. Esse serviço é recomendado para você saber e estar preparado para tudo que envolve sua aposentadoria. 

Este serviço é bem importante. Nele, o advogado previdenciário produz o mandado de segurança para fazer com que o INSS analise e responda rapidamente o seu pedido de benefício, diminuindo seu tempo de espera.

  • Peças Administrativas

Com esse serviço, o advogado previdenciário analisa o seu caso e realizamos uma peça administrativa exclusiva para você. Ela é um documento guia para o INSS no momento da análise do seu pedido.

Aqui, o advogado previdenciário analisa o seu caso, cálculos e o processo do benefício concedido no INSS. Então, conseguirmos identificar o que precisa ser revisado e quanto o seu benefício pode aumentar.

Com esse atendimento, você consegue ter uma análise completa em benefícios que sofreram mudanças de moedas antes do plano real. Este serviço descobre se a Revisão da Vida Toda é vantajosa para você.

Com esse serviço, nós realizamos todo seu processo, desde cálculos, processo administrativo, judicial, até o imposto de renda. Este é um serviço para você que não quer se incomodar com nada.

Ufa, viu como são vários serviços e com várias possibilidades? hehe

Mas agora que você conhece uma lista maior de serviços, questione o seu advogado sobre esses atendimentos e veja se ele realmente terá todo esse suporte para te oferecer!

Pergunta 3 – Quais são os honorários do seu advogado previdenciário?

É dever do seu advogado previdenciário te explicar a lógica da OAB.

Esse é um assunto bem delicado e que poucas pessoas sabem o quanto um advogado pode cobrar delas. 

Mas não tem segredo, o seu advogado não pode cobrar menos ou mais do que a OAB estipula em seus honorários

Ou seja, ela dá um valor base, o advogado previdenciario não pode cobrar menos do que consta na tabela da OAB e nem ultrapassar esses valores. 

Outra coisa bem importante que você deve saber é que o preço de cada serviço também vai variar de acordo com o tipo de atendimento, aposentadoria e benefícios.

Por isso, não espere que todos os serviços e todas as aposentadorias tenham o mesmo valor. 

Digo isso porque muitas pessoas chegam até um advogado ou escritório indicadas por parentes e amigos.

E quando perguntam sobre valores, não são iguais ao indicado e acabam frustradas ou acreditando que o advogado previdenciário está mentindo, mas a realidade não é essa

Sendo assim, faça a pergunta sobre os honorários, peça explicações do porquê é esse valor, qual serviço está sendo oferecido, vantagens e desvantagens. 

Nós mesmos, pensando em explicar essa questão, já criamos um post exclusivo sobre o assunto: Quanto Cobra um Advogado Previdenciário? | Tabela da OAB.

Se você também tem essa dúvida, vale a pena conferir esse conteúdo! 😉

Pergunta 4 – Como o advogado previdenciário se atualiza sobre os temas da área?

Veja se um advogado previdenciário é necessário

Essa pergunta é bem rara de ser feita e aposto que ela não passou pela sua cabeça, acertei? hehe

Bom, ela não é comum porque infelizmente muitas pessoas acreditam que escrever sobre algo é apenas ter um livro, mas hoje em dia a escrita não se resume a isso, pelo contrário, a Internet possibilita que pessoas com alto domínio em uma área possam compartilhar seus conhecimentos. 

Como é o caso dos especialistas do Ingrácio, nós estamos aqui, diariamente compartilhando todo nosso conhecimento previdenciário com você e isso também é uma forma de exercitar e estimular nosso domínio da área, nos tornando cada vez mais didáticos e mais acessíveis.

Então já sabe, advogado previdenciário de respeito é aquele que escreve, estuda e compartilha seus conhecimentos.

Claro existem as exceções, mas você saberá que aquele que apresenta e ensina informações relevantes, é o mais preocupado com os seus clientes e com as pessoas que precisam de ajuda previdenciária. 🙂

Aqui do Ingrácio, nós estamos presentes nas seguintes plataformas:

Essas plataformas são as possibilidades em que seu advogado pevidenciário pode estar atuando, uma dica bem legal é que antes de contratar um serviço, pesquise sobre ele nesses canais de comunicação. 

Pergunta 5 – O seu advogado previdenciário fará todos os cálculos previdenciários?

Não é exagero meu!

É que simplesmente não existe uma estimativa de valor de benefício e de tempo para se aposentar, sem ter os cálculos e os estudos sobre o seu caso. 

Folhear apenas sua carteira de trabalho não irá dar ao advogado previdenciário uma probabilidade confiável e um resultado certeiro lá no final, quando for sacar seu benefício.

E isso pode ser bem frustrante…

Imagina o caso do Paulo, que tem 27 anos de contribuição. Por 16 anos ele trabalhou como minerador subterrâneo em frente de produção, o que lhe daria direito a uma Aposentadoria Especial com 15 anos de atividade insalubre.

Nos 11 anos restantes ele trabalhou como analista administrativo. 

O advogado previdenciário de Paulo terá que analisar várias possibilidades, como:

  • Vale a pena ter Aposentadoria Especial?
  • Vale a pena esperar ele chegar aos 65 anos para ter uma Aposentadoria por Idade?
  • Quais são os valores de cada possibilidade?
  • Quais são os períodos que precisam ser comprovados e regularizados?
  • Quais são os riscos e vantagens de cada benefício?

Viu que são vários fatores? 

Todos eles envolvem cálculos, ou seja, é uma vida inteira de trabalho e o futuro da sua vida e família que está em jogo. Qualquer ausência de análise pode gerar uma grande perda financeira ou de tempo. 

Por favor confira se você irá receber os cálculos do seu caso, ok, me promete? 🙂

Pergunta 6 – Seu advogado previdenciário deixou claro sobre os prazos para te retornar? 

A pressa é inimiga da perfeição… Mas a demora é angustiante, não é mesmo?

Por isso você deve perguntar ao seu futuro advogado previdenciário como ele cumpre os prazos, produção de cálculos, documentos, retorno e todas as informações essenciais do seu caso. 

Como um exemplo sempre é bem-vindo e serve como um norte para a gente compreender como as coisas funcionam, vou citar os prazos do Ingrácio:

  • Quando é contratado algum serviço, nós retornamos no prazo de 1 dia;
  • O atendimento é agendado de acordo com a agenda do cliente;
  • Solicitamos os documentos (apenas os necessários) antes de acontecer o atendimento.
  • Realizamos uma análise que leva cerca de 3 horas do nosso especialista;
  • Enviamos os cálculos 1 dia ou horas antes do atendimento acontecer;
  • Damos o prazo de 7 dias para que todas as suas dúvidas sobre seu caso sejam sanadas. 

O correto é sempre dar retorno ao cliente.

Qualquer avanço, atraso no andamento do serviço ou benefício deve ser comunicado ao cliente.

Login no site Meu INSS, senhas, novas informações, resultados de cálculos e até mesmo alteração no atendimento devem ser avisadas.

E você deve perguntar se isso será feito, afinal é esse retorno que te dará mais tranquilidade e confiança no serviço ofertado

Mas tenha um bom senso, tudo bem? Nem sempre haverão novidades diariamente ou semanalmente sobre o seu caso. Você também precisa confiar no profissional que você escolher contratar. 

Minha dica é: caso não haja retorno do seu advogado previdenciário há mais de um mês, envie seu questionamento para ele, assim você poderá garantir que as coisas estão em andamento. 

Pergunta 7 – Como o seu advogado previdenciário cuida e guarda dos dados dos clientes?

Pergunta mais que importante!

Se engana quem pensa que os documentos e contratos dos escritórios de advocacia ficam em longas e seguras gavetas. Tudo isso mudou e cada vez mais suas informações vão parar no mundo digital. 

Por isso é imprescindível que você questione sobre como o seu advogado previdenciário protege suas informações e documentos, certo?

Esse assunto é tão vital que agora existe a Lei Geral de Proteção de Dados, que é responsável por regulamentar o tratamento dos seus dados pessoais como e-mails, senhas, números de documentos e muito mais. 

Nós aqui no Ingrácio realizamos um mutirão para deixar tudo nos conformes da lei, trazendo mais segurança e tranquilidade para as pessoas que confiaram na gente.

Veja algumas das ações que praticamos:

  • Envio de consentimento para o todos os contatos de e-mails;
  • Realização de procedimentos para envio e armazenamento de dados;
  • Atualização do nosso banco de contatos regularmente;
  • Atualização dos nossos formulários, estabelecendo avisos sobre a importância do consentimento;
  • Atualização da nossa Política de Privacidade.

Entenda, hoje em dia tudo está digital, até os processos judiciais são feitos de forma remota e online, o que torna todas essas medidas ainda mais importantes.

E ter um advogado ou escritório que se importa com isso é um ponto positivo, pois ele está cuidando de você!

Pergunta 8 – Quando o meu benefício será concedido?

Essa pergunta é bem interessante, pois, com ela você compreende melhor como funciona o andamento de um benefício previdenciário na realidade. 

Mas já vou te adiantando: o advogado previdenciário só consegue ter controle dos seus prazos internos.

Estando em dia, ele evita que seu pedido demore ainda mais no INSS ou Justiça. Fora desse parâmetro, as coisas saem um pouco do controle dele…

Porém, essa pergunta irá fazer com que você compreenda alguns aspectos que o INSS e a Justiça tendem a praticar nesses momentos. 

E para eu não te dar uma resposta tão genérica, aqui estão alguns prazos mais comuns do Previdenciário.

Prazos de um Processo no INSS:

Fazer o atendimento na internet e ser atendidode 2 a 6 meses
INSS analisar seu processode 1 dia a 2 meses
Tempo adicional se tiver atividade especial1 a 3 meses
Tempo adicional se tiver período rural1 a 3 meses
Pedido de cópia do seu processo no INSSde 1 a 2 meses
Duração média de um processo no INSS7 meses

Prazo do Recurso Administrativo

Agendamentode 1 a 3 meses
Análise do Recursode 4 a 12 meses
Se a Junta de Recursos solicitar ouvir testemunhas3 a 6 meses
Se o INSS não aceitar uma decisão favorável, e recorrer2 a 12 meses
Duração média de um recurso administrativo14 meses

Deixo claro que esses prazos podem variar de acordo com a sua documentação, tipo de aposentadoria e até mesmo o tipo de benefício, tudo deve ser analisado conforme sua realidade. 

Pergunta 9 – Seu advogado previdenciário está disposto a tirar suas dúvidas após a consulta?

Já aconteceu de você ir em uma consulta médica e esquecer de fazer aquela pergunta que era muito importante, de pedir aquela receita ou até mesmo o atestado? 

Nossa… comigo acontece sempre, é tão chato né? 

Pensando nisso, é bem importante que você pergunte ao advogado previdenciário se ele te dará um prazo para você tirar suas dúvidas. Se ele te oferecer é um ponto positivo!

Isso demonstra que o profissional preza pela informação correta e quer acabar com as objeções criadas. 

Aqui no Ingrácio nós oferecemos o prazo de 7 dias úteis para que os clientes façam todas as perguntas necessárias sobre o caso, documentação ou atendimento. Isso garante que estejamos alinhados com os clientes e suas necessidades.

Minha dica é que durante o atendimento você se esforce para prestar atenção no que está sendo apresentado. Se precisar, anote ou pergunte aquele ponto que não ficou muito óbvio.

Não tenha vergonha de perguntar, ok? 🙂

Pergunta 10 – Como posso acompanhar o andamento do meu caso?

Advogado previdenciario

Essa pergunta, assim como as outras, é essencial, pois garante que você esteja no controle do seu futuro benefício e que fique bem informado sempre. 

Mas confesso que o acompanhamento de casos por parte dos clientes gera situações engraçadas, mas que necessitam de um cuidado maior por parte segurado. 

Digo isso porque já vivenciei situações em que o cliente tinha login e senha do site Meu INSS e que por ansiedade solicitou algo que não devia ou que simplesmente trocou a senha e esqueceu de avisar o advogado previdenciário que estava cuidando do seu caso. 

Para evitar isso, converse com seu especialista e pergunte como e quando você pode acompanhar as novidades sobre seu caso. 

Última dica: recebeu uma senha do INSS? Mantenha ela igual, não a altere. Isso pode comprometer a análise e o andamento do seu caso.

Se alterar, anote e envie ao seu advogado previdenciário. 

Ah e já ia me esquecendo, não entregue seus dados, senhas bancárias ou dados de documentos pessoais para ninguém!

Os golpes estão aí e você precisa ficar atento. 

Falando nisto, nós temos um conteúdo bem informativo sobre os golpes que ocorrem com segurados do INSS.

Confira e esteja protegido!

Conclusão

Uau, graças a esses nossos minutos de leitura, você está preparado para ter um atendimento seguro e completo com o seu futuro advogado previdenciário. Além disto, viu o que um profissional excelente dever ter. 

Neste post você descobriu as perguntas essenciais que você nunca deve esquecer de fazer a um Advogado Previdenciário

Conferiu que realizar perguntas sobre cálculos, prazos, segurança e serviços são suas melhores coisas para garantir um benefício correto e justo.

Meu maior prazer é ver você empoderado, informado e pronto para ter o controle da sua aposentadoria.

Conte comigo e com o Ingrácio, nós estamos aqui diariamente com os melhores conteúdos para você!

E não esqueça de se inscrever na nossa Newsletter, pois com ela você irá receber informações exclusivas sobre o Ingrácio e o Mundo Previdenciário!

Quanto Cobra um Advogado Previdenciário?

Quanto Cobra um Advogado Previdenciário?

Eu sei, você deve estar acostumado a ler por aí sobre o que um advogado faz, quais são os benefícios da ajuda dele e tudo mais.

Mas você já viu em algum lugar uma informação sobre quanto um advogado previdenciário deve cobrar de você?

Isso não é nada comum de ouvir de um advogado, mas como nós somos diferenciados, hoje vou te contar tudo sobre esse assunto.

E já te adianto, ele é obrigado a obedecer os limites estabelecidos pela OAB do seu estado…

Neste post revelador você vai descobrir:

Como são definidos os valores | Tabela da OAB

Sendo bem objetivo no assunto, a lógica de como os valores são cobrados pelos advogados é bem simples, esses valores não podem ser menores que o mínimo da OAB e nem maiores do que você recebeu no seu processo.

“O código de Ética e Disciplina. Art48 – […] § 6.º – Deverá o advogado observar o valor mínimo da Tabela de Honorários instituída pelo respectivo Conselho Seccional onde for realizado o serviço, inclusive aquele referente às diligências, sob pena de caracterizar-se aviltamento de honorários”

Esse valor também varia de acordo com os tipos de aposentadorias, benefícios por incapacidade ou pensão por morte.

Na maioria dos casos os escritórios separam os pagamentos na seguinte maneira: percentual dos atrasados e quantidade de benefícios.

Aqui no Paraná (estado onde se localiza a Sede do Escritório Ingrácio) a OAB estabelece o mínimo de 25% das parcelas vencidas e 25% das 12 parcelas (incluindo o décimo terceiro) que ainda vão vencer para um processo judicial previdenciário.

Para entender melhor, confira a tabela de honorários da OAB. No Paraná funciona da seguinte forma.

Invista na sua real necessidade por um advogado previdenciário

O mínimo que o Advogado Previdenciário pode cobrar

  • 25% dos atrasados;
  • 3 primeiros benefícios (25% das 12 parcelas que ainda não venceram).

O máximo que o advogado pode cobrar

  • 50% dos atrasados;
  • 6 primeiros benefícios (50% das 12 parcelas que ainda vão vencer).

E o valor mais comum no mercado

  • 30% dos atrasados;
  • 3 a 5 primeiros benefícios.

A regra para nós advogado é: não podemos receber mais que você e não podemos cobrar menos do que o mínimo regulamentado pela OAB.

Ou seja, seu advogado vai cobrar algo entre o mínimo e o máximo.

Então qualquer prática que foge disso, desconfie, porque isso é uma prática ilegal! 

Isso é tão importante quanto ficar atento em todas as informações que são compartilhadas com você.

Fora isso, esteja preparado para averiguar as qualidades do seu futuro advogado, é ele que vai te acompanhar nesse momento tão decisivo da sua vida. 

Caso você esteja curioso para saber a tabela de honorários da OAB do seu estado, basta digitar no google “tabela de honorários OAB + ‘seu estado’”. 

Por exemplo, “tabela de honorários OAB Amazonas”. Geralmente é o primeiro resultado que aparece.

Não foque no valor, foque na necessidade

Veja se um advogado previdenciário é necessário

É isso mesmo que você leu no título acima…

Eu estou aqui para ser honesto com você, mesmo que aparentemente isso seja um tiro no meu próprio pé, mas eu não podia guardar essas informações só para mim ou para poucas pessoas.

A verdade é que nem sempre você vai precisar de um advogado para conseguir sua aposentadoria. E confia em mim, sou especialista em Direito Previdenciário e sei o que estou dizendo. 

Existem vários casos que podem ser resolvidos sozinhos, sem dor de cabeça. E muitas vezes a solução está em apenas preparar uma documentação correta no INSS.

Mas se você já vem pesquisando sobre o Mundo Previdenciário, é porque está preocupado com alguma coisa, alguma contribuição não feita, uma atividade não comprovada, acertei?

Então ainda neste post, eu precisava te contar 3 dicas para você saber se precisa de um advogado para sua aposentadoria, é isso que você vai conferir agora:

Dica 1: Meu CNIS, minha vida 

Você encontra todo o histórico de trabalho no seu Cadastro Nacional de Informações Sociais, CNIS, ele é o principal documento responsável por mostrar como anda sua situação na Previdência Social.

Além disso, ele apresenta quais são suas contribuições, tempo trabalhado, empresa, cargo, condições do ambiente de trabalho e muito mais. 

Mas cuidado: caso seu CNIS não esteja com todos informações ou com dados errados isso é um sinal de alerta e você precisa de um advogado especializado em previdência. 

Dica 2: Descubra em qual caso você está

Com meus anos de experiência em Direito Previdenciário, eu pude identificar 12 casos em que o trabalhador deve ficar atento, são eles:

  1. se aposenta antes da Reforma da Previdência;
  2. trabalhou em mais de um emprego ao mesmo tempo;
  3. possui contribuições em outros regimes (trabalhou como servidor público ou militar);
  4. trabalhou exposto a agentes insalubres (muito ruído, trepidação, químicos, pessoas doentes em hospitais, frio, calor) e periculosos (com porte de arma, situações de perigo, exposto à eletricidade);
  5. trabalhou no exterior;
  6. já teve processos trabalhistas;
  7. possui períodos afastados pelo INSS;
  8. recolheu em atraso;
  9. trabalhou sem carteira registrada;
  10. trabalhou como autônomo e trabalhou para empresa que não recolheu seu INSS;
  11. trabalhou em área rural, como pescador artesanal, como seringueiro ou como extrativista vegetal (segurados especiais);
  12. trabalhou na condição de pessoa com deficiência.

Dica 3: Contrate uma Consulta Previdenciária

A Consulta é o principal serviço para aqueles que querem fazer o pedido de aposentadoria sozinho sem precisar assinar um contrato para processo judicial desnecessariamente.

Quando você escolhe por fazer uma consulta com um advogado especialista em aposentadoria, você está garantindo mais segurança e autonomia na busca por um benefício mais vantajoso. Tendo os seguintes benefícios:

  • tem uma visão de toda sua situação previdenciária;
  • conhece quais são seus direitos;
  • tem um diagnóstico personalizado para o seu caso em específico; 
  • evita que você perca dinheiro com contribuições atrasadas ou por benefícios incorretos;
  • descobre como ter uma documentação impecável para levar ao INSS.

Isso significa que ter uma consulta previdenciária completa e honesta é a melhor opção para quem está pensando em se aposentar, porque ela te entrega em mãos todas as informações necessárias, dando a possibilidade de escolher a opção mais vantajosa para você. 

Essas dicas e conselhos foram identificadas em mais de 17 anos de tradição do Escritório Ingrácio, inovando sempre no que diz respeito ao Direito Previdenciário.  

Com nossa experiência, atendemos pessoas que sofreram e ainda sofrem nas mãos do INSS, ou que aguentam o peso das más escolhas feitas no início da aposentadoria

Aqui no Ingrácio, nós temos também temos o serviço de Planejamento Previdenciário, que inclui uma Consulta Previdenciária de 1 hora com os nossos clientes.

Você quer ter acesso a um modelo exclusivo do planejamento previdenciário? É só deixar o seu email e nós enviamos para você 🙂

Esse serviço faz uma análise mais completa ainda do que uma consulta comum, uma vez que analisamos toda a projeção de benefícios previdenciários (como aposentadoria) que você tem ou pode ter direito no futuro.

Além disso, descobrimos se você tem direito a revisões ou ações judiciais que podem fazer com que você tenha direito a valores atrasados (Ação do PASEP para servidores públicos, Imposto de Renda para quem mora no exterior, entre outros).

Desse modo, o nosso cliente evita surpresas e perda de dinheiro na hora de se aposentar.

Invista em um bom atendimento

Invista e exija um bom atendimento previdenciário

Já que você me acompanhou até aqui, então já conheceu como funciona a lógica de preços dos advogados previdenciários e viu quais motivos realmente fazem você precisar da ajuda deste profissional. 

Então nada mais justo do que eu, um advogado especialista em Previdência, compartilhar com você informações que ajudam a identificar se você está tendo um atendimento de qualidade. 

Com informações deste calibre você estará protegido de advogados sem experiência ou daqueles que só tem interesse em fechar um contrato.

Para isso, eu vou te dar 2 conselhos básicos para você ficar atento na hora em que for fazer uma visita a um advogado.

Confira:

1º Conselho: pergunte imediatamente se ele faz cálculos previdenciários

Esse conselho não poderia faltar de jeito nenhum, então tenha sempre isso em mente.

Se um advogado previdenciário não te apresentar os cálculos concretos sobre seu histórico de trabalho, é melhor fugir!

Um profissional desta área precisa conhecer e realizar cálculos previdenciários. Sem eles não há segurança de que está pedindo o benefício correto e muito mais, sem ele é impossível descobrir:

  • para qual benefício você tem direito;
  • quanto tempo falta para você se aposentar;
  • quanto tempo de contribuição ainda lhe resta;
  • e principalmente quais serão seus valores de benefício.

Não ter esses cálculos em mãos é um grave indício de que não há segurança alguma nas informações recebidas do seu advogado.

Por isso preste atenção neste momento e só aceite ser atendimento caso haja comprometimento com os números do seu caso

2º Conselho: Não feche um contrato para processo judicial logo de cara

Realizar atendimentos gratuitos somente para fazer o cliente fechar o contrato de processo na Justiça é algo bem comum, infelizmente!

Porém nós não concordamos com essa prática, porque estamos do lado dos nossos clientes, e em muitas ocasiões essas pessoas nem precisam de um processo

É para evitar que caia nessa armadilha, que eu estou aqui para ajudar a identificar quando estiver acontecendo isso com você, veja:

  • se o advogado não analisou seus documentos profundamente;
  • se o advogado não entregou os números do seu caso;
  • se o advogado não explicou o que há de errado com seu histórico de trabalho;
  • se o advogado não explicou porque não existe outras possibilidades. 

O advogado que você merece, irá te explicar tudo com a maior franqueza, é possível que você realmente precise de um processo, como nos casos de Aposentadoria Especial, Rural, ou em casos de contribuições e períodos não comprovados.

Mas caso a sua situação seja alguma dessas, esse profissional deve sim explicar porque você não tem outras possibilidades

Digo isso porque geralmente ainda existe a chance de esperar mais algum tempo até alcançar os requisitos para um benefício melhor ou sugerir um melhor planejamento previdenciário

O que você ganhou lendo este conteúdo Ingrácio

Me acompanhando nesta leitura você teve acesso a dicas e conselhos dados por um especialista em previdenciário! 

Com o Ingrácio você pode conhecer os bastidores de como são escolhidos os honorários dos advogados de acordo com a OAB e conseguiu ter acesso a informações valiosas sobre o que esperar de um bom atendimento previdenciário.

Nós amamos tanto o assunto, que eu até separei para você alguns conteúdos essenciais para você ficar craque sobre o tema e de quebra garantir um bom serviço que você merece:

Gostou do texto? Então, compartilhe esse conteúdo com seus conhecidos, amigos e familiares. 🙂

Agora, vou ficar por aqui!

Um abraço!

Consulta Previdenciária para Aposentadoria: Como Funciona?

Consulta Previdenciária para Aposentadoria: Como Funciona?

Todo o ano, mais da metade dos pedidos de aposentadorias são negados pelo INSS.

E para não ter o mesmo destino destes trabalhadores, conheça agora os 5 motivos para você precisar de uma Consulta Previdenciária

Neste post você vai conhecer como esse serviço é essencial para ter uma aposentadoria correta e no tempo certo.

Este conteúdo é para te tranquilizar e avisar que existe uma saída para o seu caso, porque queremos levar uma solução para você.

Dado o aviso, vamos lá!

1º Motivo | Ter todas as informações da sua vida previdenciária

Lembra da estatística de 55% dos pedidos terem sidos negados pelo INSS?

Pois é, de acordo com o Instituto, isso acontece porque a maioria das pessoas solicita a aposentadoria sem saber qual é sua real situação na previdência

É aí que entra em cena a Consulta Previdenciária.

Este serviço traz informações completas sobre:

  • seu histórico de trabalho;
  • seu histórico de contribuições;
  • o seu direito ao benefício pretendido;
  • comprovação de atividades;
  • cálculos atualizados;
  • e simulação precisa do tempo que ainda lhe resta e de possíveis valores de benefício.

Com essas informações, você está preparado para enfrentar todas as exigências que o INSS faz antes de te conceder uma aposentadoria.

Sem elas, é quase impossível sair do INSS com um resultado positivo.

Digo isso porque sou sua amiga e quero que você esteja preparado. 

Pense comigo, quais são as chances de ter uma aposentadoria aprovada, ou melhor, com o salário de benefício correto, sem estar preparado?

Antes de responder para si mesmo, você precisa refletir sobre sua situação, para isso faça essas breves perguntas:

Enfim, são muitas perguntas que eu poderia fazer para você, porque isso é uma forma de te ajudar a pensar sobre seus reais conhecimentos do seu caso. 

Além disso, posso te garantir que a Consulta Previdenciária é um serviço altamente versátil.

Ela atende as necessidades de um trabalhador que conhece sua própria situação no INSS e precisa de um especialista para saber se pode entrar com um pedido de aposentadoria sozinho.

E também ajuda aquela pessoa que não conhece nada sobre suas pendências e precisa de uma orientação sobre seus próximos passos. 

Resumindo, esse serviço é feito especialmente para aquele trabalhador que deseja ter tranquilidade e segurança em todos os aspectos da sua aposentadoria.

E isso acontece graças a um diagnóstico completo que só um especialista de confiança pode te garantir.

2º Motivo | Ter uma documentação impecável

Tão grave do que não saber se tem direito a uma aposentadoria, é não ter a documentação correta, e isso pode acarretar em perda de preciosos períodos de trabalho.

Foi o que aconteceu no caso do Maurício, que possuía 10 anos como minerador de uma mina subterrânea em Minas Gerais e 5 anos na mesma mina, mas agora no cargo supervisor de carga. 

Nesta situação, os 5 anos não foram contabilizados como especiais, apenas os 10 anos como minerador.

Hoje, com a Reforma da Previdência, ele precisaria de 15 anos de atividade especial de alto risco + 55 anos, sem a possibilidade de converter tempos especiais para comuns. 

Mas, para que Maurício precise de mais 5 anos trabalhando em atividades especiais, seu advogado precisou ir atrás de provas que comprovem que o período trabalhado como supervisor de carga que também devia ter sido considerado atividade nociva à saúde.

Para isso ele utilizou documentos como:

  • provas testemunhais;
  • laudos técnicos no ambiente de trabalho, como o PPP;
  • e atestados médicos com exames direcionados a lesões sofridas durante todos esses anos.

O advogado conseguiu, desse modo, comprovar que todos esses 15 anos eram, de fato, atividades especiais realizadas antes da vigência da Reforma, dando direito a uma Aposentadoria Especial para o Maurício.

Não seria injusto ele precisar trabalhar mais alguns anos para ter direito a essa aposentadoria.

Por isso, ter uma documentação impecável é o segundo motivo pelo qual você precisa de uma Consulta Previdenciária.

Neste atendimento, seu advogado especialista irá fazer um verdadeiro caça ao tesouro para encontrar os períodos que precisam ser comprovados e quais documentações irão salvar sua pele no INSS.

Os grandes heróis da sua aposentadoria são os seguintes documentos:

E confia em mim, isso é apenas a pontinha do iceberg, porque a variedade de documentos que podem te dar um parecer favorável é infinita. 

Mas, o que muitas pessoas não levam em consideração é que a maioria destes documentos podem apresentar alguma irregularidade nas informações, seja por dados incompletos, dados inexistentes ou até menos por números errados.

Ou seja, só o olhar clínico de um advogado especialista e comprometido com seu caso pode encontrar verdadeiras oportunidades que precisam ser regularizadas.

Esse profissional vai te orientar como fazer a busca perfeita pelos seus documentos. 

Isso sem falar nas documentações extras que podem potencializar as provas que lhe dão direito à sua aposentadoria, como acontece nos seguintes casos:

  • documentos que validam suas testemunhas em caso de aposentadoria rural ou especial;
  • documentos que provam sua exposição a agentes nocivos à saúde;
  • documentos que podem ser elaborados mesmo depois do período trabalhado, como provas emprestadas.

Sendo assim, é crucial que você leve a documentação correta para a fase administrativa no INSS.

Sem isso, você corre sérios riscos de precisar do processo judicial, e não queremos isso, certo?

E para te ajudar nesta questão, nós criamos um post bem completo sobre quais são os documentos necessários para aposentar.

Mas, não fique só neste conteúdo, a orientação profissional deve sempre ser consultada, pois, cada caso é um caso…

3º Motivo | Ter as melhores soluções para seu caso

Agora, escute o meu conselho: não aceite respostas genéricas sobre seu caso.

Vai por mim, uma consulta previdenciária bem feita é aquela que é exclusiva para você!

Não aceite apenas um diagnóstico de que precisa de um processo na Justiça ou uma resposta simples de que pode fazer tudo sozinho.

Uma boa consulta vai te apresentar o porquê de cada opção e mostrar o caminho das pedras até o INSS. 

Toda consulta deve ser única, com cálculos e respostas personalizadas, pois cada trabalhador possui um histórico de atividades único e que necessita de um estudo previdenciário específico. 

Um serviço nesse nível de personalização garante que:

  • você tenha os valores mais próximos possíveis dos cálculos do INSS;
  • você tenha a documentação correta para cada uma das suas pendências;
  • você tenha uma solução dada sob medida para seu caso. 

É importante que você termine esse post sabendo que o processo na justiça não deve ser sua primeira opção, pelo contrário, um bom advogado vai investigar o que for necessário para encontrar uma saída que não seja a judicial. 

Por isso, desconfie caso seu advogado lhe apresente o processo judicial sem antes mesmo de estudar outras alternativas e sem realizar um estudo com cálculos

Levamos tão a sério o assunto que nós fizemos o post Consulta Previdenciária Online vs Advogado Caça Processo, recomendo a leitura. 

E para te ajudar na escolha de um bom profissional, nós criamos uma Checklist interativa gratuita com 4 Dicas Essenciais para contratar um Advogado Previdenciário.

Use sempre que tiver dúvidas sobre o assunto.

4º Motivo | Ter tranquilidade para esperar o momento certo de se aposentar

Como você já deve ter percebido, o processo judicial contra o INSS é um dos assuntos mais falados neste ramo, ficando de lado a importância de fazermos um bom e correto planejamento previdenciário.

Mas, só para você ter uma noção, a maioria das pessoas que procuram nossa ajuda chega até nós com seus benefícios negados, processos parados na Justiça ou com um pedido administrativo que não as favorece.

Ok, e o que isso tem a ver com a Consulta Previdenciária?

Bom, eu preciso abrir seus olhos e te mostrar que os diagnósticos obtidos na consulta não se resumem em: você tem direito a determinado benefício ou precisa fazer um processo na Justiça.

Pelo contrário, com esse serviço você consegue descobrir detalhes muito mais profundos que fazem a diferença.

E nem sempre a resposta é exatamente aquela que você queria, outras alternativas podem surgir com a consulta, como por exemplo:

  • você já possui direito a um tipo de benefício, mas se você esperar mais um determinado tempo você terá direito a algo melhor;
  • você não possui nenhum direito no momento, mas os benefícios mais próximos são esses, entre outras possibilidades. 

E independente de qual for a sentença final, o advogado que realiza esse serviço precisa te mostrar qual é a melhor forma de esperar pela opção mais vantajosa.

Ele deve te apresentar os documentos que você precisa guardar ao longo do caminho e o que é necessário para realizar o pedido e quais cuidados precisam ser tomados. 

Ou seja, a Consulta Previdenciária nada mais é do que um serviço que deve prezar pelo seu conforto, tranquilidade, segurança e principalmente autonomia, te equipando e informando para que você esteja preparado para enfrentar o INSS na hora certa. 

Meu conselho, mais uma vez, é que você observe se o seu advogado analisou profundamente seus documentos, realizou cálculos baseados no seu histórico de trabalho e está tendo uma conversa franca com você. 

Se você já conferiu isso, ótimo!

Agora você precisa confiar na experiência desse especialista e seguir as orientações dele, afinal, foi para isso que você pediu ajuda dele.

E eu sei, é difícil ouvir que é necessário esperar, que ainda não há direito de se aposentar…

Mas, é melhor aguardar estando com tudo ao seu favor, do que se aventurar no INSS com tudo contra você. 

5º Motivo | Invista em 1 consulta e economize 1 processo

Como eu disse para você anteriormente, o diagnóstico de um processo previdenciário na Justiça deve ser a última opção de um especialista durante uma Consulta Previdenciária

E agora neste quinto motivo você vai entender o porquê…

Mas antes, uma palavra que resume os inúmeros benefícios desse serviço é prevenção.

A consulta é versátil para você que quer evitar erros no INSS, evitar retrabalho ou incansáveis meses e até anos esperando um benefício que não chega ou chega com valores errados. 

Aqui no escritório Ingrácio, nós também atendemos trabalhadores que já tiveram benefícios negados pelo INSS, e viram na nossa Consulta Previdenciária uma oportunidade de fazer diferente do que na primeira vez, evitando os mesmos erros do passado, seja por:

  • falta de documentação da qual não sabia que era necessária;
  • documentação incompleta ou com informações erradas;
  • falta de uma análise profunda e com cálculos exclusivos;
  • ou por ter realizado pedido para um benefício que não tinha direito. 

Isso significa que esse serviço é aconselhado tanto para aqueles que estão iniciando a busca pela aposentadoria, quanto para aqueles que já tiveram experiências não tão agradáveis no INSS. 

Geralmente a Consulta Previdenciária é feita em formato de conversa com duração de 1 hora, mas o especialista se dedica ao seu caso muitas horas antes de entrar em contato com você…

Antes de conversar com você, o seu advogado está executando as seguintes etapas:

  • análise dos documentos iniciais e solicitação de um documento extra (caso seja necessário);
  • realização de cálculos completos do seu tempo de trabalho e contribuição;
  • simulações coerentes dos possíveis valores que você pode receber;
  • projeções dos benefícios mais favoráveis;
  • e finalmente do compartilhamento de todas essas informações com você, com a entrega de soluções para as mais diversas situações. 

Mas, você pode estar se perguntando: como isso vai evitar que eu precise de um processo judicial?

Pense comigo, horas de estudo dedicados ao seu caso e uma conversa aberta e esclarecedora em 1 hora faz com que você evite ficar meses ou anos lutando contra o INSS na Justiça. 

Ao dizer sim para uma Consulta Previdenciária, você vai entender qual benefício é o correto, quais documentos procurar e quais valores esperar, não ficando à mercê da sorte ou de uma aposentadoria injusta.

Então, antes de contratar qualquer serviço previdenciário, coloque na balança: “devo pedir ajuda especializada ou prefiro arriscar tudo e ver até onde chego sozinho?”

Se você conseguiu perceber essa lógica de prevenção, então você entendeu que é mais vantajoso investir em uma consulta, porque com esse preparo você estará economizando em um processo judicial, que na maioria das vezes nem é necessário

O que acontece na consulta do Ingrácio?

Você teve acesso aos motivos transparentes pelos quais você precisa de uma Consulta Previdenciária

Com esses minutos em que me acompanhou nesta leitura, você viu que sempre há uma opção melhor ou menos dolorosa para o seu caso.

Te apresentei o que esperar de um serviço sério, experiente e profissional, no qual você merece. 

o Ingrácio oferece um serviço pensado para os trabalhadores que desejam ter uma aposentadoria justa e digna no futuro.

Isso porque oferecemos o Planejamento Previdenciário, um serviço que inclui uma consulta, mas que é muito mais completo!

Ficou curioso? Então vou te contar como funciona o Planejamento Previdenciário do Ingrácio.

4 etapas do Planejamento Previdenciário

1ª etapa – Investigamos a fundo seus direitos

Você recebe um formulário com perguntas fundamentais que nos ajudam a descobrir todos os seus direitos, mesmo aqueles que você nem desconfia que possui.

Isso faz com que te entreguemos um serviço altamente exclusivo.

2ª etapa – Realizamos um estudo completo da sua vida previdenciária

Nós analisamos todas as dúvidas e escaneamos com nosso olhar clínico toda a sua documentação.

Investigamos a fundo, realizamos cálculos e simulações para estudar suas possibilidades, fazendo projeções de benefícios previdenciários, possibilidades de revisões e/ou ações judiciais que podem fazer você ganhar um bom dinheiro.

3ª etapa – Conversamos francamente com você

Além de todo esse estudo, nós reservamos para você uma consulta com o Advogado Especialista responsável pelo seu caso.

Neste momento, você terá acesso aos cálculos de todo seu histórico de trabalho, o que inclui análise de tempo de contribuição e simulações de data e valores de aposentadoria, ou seja, você recebe uma previsão completa dos seus direitos.

4ª etapa – Tiramos todas as suas dúvidas restantes.

Depois de receber todas as informações e opções do seu caso, nós te damos um período para sanar qualquer ponto ou dúvida que você tenha tido depois da consulta. 

Ou seja, o planejamento previdenciário é o estudo da sua vida contributiva (seja você trabalhador do INSS ou servidor público), que abrange a análise das atividades desenvolvidas, salários de contribuição e projeções futuras.

Dessa forma, você não perde tempo e dinheiro, consegue organizar seu futuro previdenciário e evita erros no momento da aposentadoria.

Toda essa estrutura foi criada para suprir as necessidades dos clientes, proporcionando, assim, uma satisfação completa e profunda, resultando soluções mais eficazes para você.

Nós atuamos presencialmente na cidade de Curitiba, no Paraná, e de forma online para todo o Brasil e Exterior.

Você pode escolher a melhor opção!

Reafirmamos nossa responsabilidade com você e com todos aqueles que buscam nossa ajuda.

Lembramos que esse serviço não é para aqueles que querem uma análise superficial, pouco eficaz e com cálculos imprecisos.

Pelo contrário, nosso Planejamento Previdenciário é para aqueles que desejam:

  • ter tudo preparado da forma correta para se aposentar. E detalhe: mesmo depois da Reforma da Previdência isso é possível;
  • ter uma caminhada segura e sem dúvidas sobre quais são seus direitos;
  • ter autonomia no momento do pedido no INSS e realizar esse procedimento sozinho, e melhor: sem erros;
  • e além de tudo, ter as informações corretas sobre seus direitos, cálculos e orientações completas sobre os próximos passos. 

O que você descobriu neste conteúdo

Me acompanhando nesses minutos, você descobriu quais são os reais motivos pelos quais todos os trabalhadores deveriam passar por uma Consulta Previdenciária antes de iniciar qualquer coisa no INSS.

Além disso, você conferiu a importância de ter todas as informações certas nas suas mãos, e também viu que a Consulta Previdenciária te previne de cometer erros comuns ou imperceptíveis aos olhos do trabalhador. 

O maior legado deste serviço é te apresentar uma diversidade de opções e soluções, não só um pedido, não só um benefício, não só um processo.

Muito mais do que isso, nós damos à você uma opção de escolha, e, é claro, sempre a mais vantajosa para o seu caso.

E nós queremos continuar te ajudando nesta caminhada, por isso, estamos toda semana aqui no Blog, Youtube e Newsletter, trazendo à você conteúdos completos e especializados do Mundo Previdenciário.

Continue com a gente em nossos canais!

O Papel do Advogado Previdenciário no Processo de Aposentadoria

O Papel do Advogado Previdenciário no Processo de Aposentadoria

O advogado previdenciário pode ser seu grande aliado na busca pela sua aposentadoria, principalmente se você precisar buscar os seus direitos por vias judiciais.

Em 2019, mais de 80% dos processos judiciais contra o INSS não tiveram o resultado favorável para os segurados.

E para você não fazer parte desta triste estatística, veja qual é o papel do advogado previdenciário no processo judicial e como ele adianta e evita erros.

Neste post eu vou te mostrar como esse profissional pode ser uma mão na roda antes e durante o seu processo, para que ele não seja um momento trágico para sua aposentadoria…

Antes de mais nada, o processo judicial é recomendado para quem possui contribuições atrasadas, atividades rurais, períodos no exterior, atividades especiais e períodos de trabalho sem comprovação. 

E o bom advogado é aquele que incentiva você estar preparado para qualquer situação no INSS e no processo judicial, porque ele se preocupa com os mínimos detalhes e números, zelando pelo seu sucesso independente se você precisa ou não de um processo na justiça…

Agora você vai conferir o porquê do advogado ser muito importante para o processo de aposentadoria, pois ele:

1. Analisa todo seu histórico de trabalho

Posso afirmar uma coisa: seja precavido, isso evita muita dor de cabeça no futuro!

Isso inclui estar preparado antes mesmo de iniciar um processo judicial logo de cara.

São milhares de trabalhadores e empresas que não fazem o preenchimento correto ou não conservam de forma adequada os documentos trabalhistas e previdenciários.

E isso é muito grave, porque afeta diretamente o pedido da sua aposentadoria no INSS ou no seu futuro processo.

Sendo assim, o essencial mesmo é se precaver e prestar bastante atenção nos documentos que você tem, como por exemplo:

Mas como infelizmente isso não é uma prática muito comum, você precisa recorrer a um advogado previdenciário para analisar seu histórico de trabalho e te ajudar com a sua documentação.

É ele quem irá fazer um escaneamento completo das suas contribuições, empresas em que trabalhava, entender quais eram suas condições de labor, atividades e muito mais. 

Além disso, essa etapa é crucial para você entender o que é preciso ser feito antes mesmo de ir até o INSS. 

Vejo muitas pessoas que antes de me procurarem já tinham feito pedidos de aposentadoria, e a maioria delas tiveram um benefício negado ou com um valor muito incorreto, deixando mais uma vez bem visível a importância de ser precavido.

O advogado previdenciário é o profissional ideal para te ajudar a entender como está sua situação na Previdência Social e te oferecer a assistência necessária do início ao fim de sua aposentadoria, facilitando que se houver a necessidade de um processo judicial, você estará preparado. 

No primeiro momento ele irá em busca de informações valiosas.

Carteira de trabalho e CNIS

Esses documentos podem ser os verdadeiros vilões ou heróis da sua aposentadoria, e quem vai identificar se eles são bons ou não é o seu advogado. 

Começando pela carteira de trabalho, tão comum entre os trabalhadores da iniciativa privada. 

E justamente por esse documento ser comum, que ele se torna motivo de despreocupação, estando muitas vezes incompleto, com informações erradas, ou até mesmo cheios de rasuras ou em mal estado. 

Com a sua carteira de trabalho, seu advogado consegue ver:

  • a comprovação das suas contribuições e o atraso de alguma delas;
  • se existe alguma empresa que você trabalhou que já faliu; 
  • as informações dos seus empregadores.

Caso você não tenha carteira ou ela esteja rasurada, seu advogado pode agilizar com você alguns documentos para comprovar eventuais vínculos de trabalho e/ou contribuições, como, por exemplo, o Registro de Massa Falida, comprovantes de FGTS e a Relação Anual de Informações Sociais. 

Outro documento que seu advogado vai avaliar é seu Cadastro Nacional de Informações Sociais, o famoso CNIS.

Hoje em dia ele é um dos documentos mais importantes que você tem, porque é nele que você encontra todos os seus dados de vínculos de trabalho e de atividades exercidas. 

Se o CNIS estiver incompleto, o advogado consegue identificar se há necessidade de uma documentação complementar.

Ele vai investigar se você trabalhou em atividades insalubres ou perigosas, se precisa solicitar testemunhas a seu favor ou encontrar outras estratégias que podem evitar eventuais erros no momento do seu processo.

PPP – O advogado consegue salvar sua aposentadoria especial

Mais um documento que o advogado fica atento antes de entrar com um processo no INSS é o seu Perfil Profissiográfico Previdenciário.

Assim como nos outros dois documentos citados acima, o PPP geralmente vem incompleto ou com informações incorretas sobre suas atividades e isso pode gerar uma dor de cabeça enorme se você exerceu atividades especiais.

Sem o seu PPP e sem a ajuda de um advogado, é quase impossível obter um processo judicial para Aposentadoria Especial.

Seu advogado com esse documento consegue ter um projeção do que o INSS irá exigir para ter o seu benefício concedido.

Por isso é tão importante estar sempre um passo à frente do que será exigido.

Você conferiu como a ajuda de um advogado antes de seu processo é essencial, porque ele evita erros futuros no INSS e te dá mais segurança durante esse momento. 

Esse profissional, quando analisa todos os seus documentos iniciais, evita que:

  • você leve uma documentação incompleta no INSS;
  • você inicie um processo sem as exigências necessárias;
  • você tenha processo negado ou com valores incorretos.

Seu advogado garante que você tenha informações valiosas sobre sua situação previdenciária, projetando assim, um processo mais rápido e uma boa aposentadoria no futuro. 

Deixando meu claro que este momento ocorre em uma consulta previdenciária.

É este serviço que descobre a fundo o que está acontecendo, se você precisa ou não de processo judicial.

2. Ajuda a cumprir suas exigências

No tópico anterior você viu como o advogado previdenciário, com toda sua especialização e experiência, consegue enxergar detalhes que comprometem ou salvam sua aposentadoria.

Antes de pensar em ir direto para o processo judicial contra o INSS, saiba que isso não é possível, porque primeiro você precisa passar pela fase do Processo Administrativo, que é obrigatória.

E sendo bem honesta com você, para iniciar o Processo Administrativo não é obrigatório um advogado te acompanhando (você pode fazer isso sozinho).

Porém, os principais erros acontecem aqui, fazendo com que você tenha um benefício negado administrativamente e tendo que recorrer à justiça.

A partir daí é obrigatório que você tenha um advogado te representando.

Como funcionam as exigências do INSS?

Durante o Processo Administrativo a etapa mais delicada é o momento de cumprir as exigências do INSS

E ter um advogado junto com você, mesmo que não seja obrigatório, é essencial para salvar sua pele, porque ele com anos de experiência, conhece como o INSS funciona e como conseguir como documentação exigida. 

Essa etapa se inicia quando a Carta de Cumprimento de Exigências é entregue ao segurado após o requerimento de aposentadoria.

Esta entrega é devidamente registrada no sistema digital do INSS

A carta representa que o INSS está solicitando mais documentos para serem analisados durante o processo. 

Depois que receber esta carta, você terá apenas 30 dias para cumprir as exigências, se você não der nenhuma resposta ao INSS, ele entenderá que desistiu.

Assim, o Instituto arquivará o seu Processo Administrativo e você vai precisar iniciar tudo do zero. 

Por isso é tão importante contar com a ajuda de um advogado antes mesmo de iniciar qualquer coisa com o INSS

Porque pense comigo: não é uma boa ideia iniciar sozinho um processo administrativo.

Imagine não ter ajuda alguma, não saber se existem documentos ou períodos de trabalho faltando…

Isso só faria você perder tempo, dinheiro e expectativas em algo que já começou errado. 

Neste momento crucial das exigências, pode ser que você se encontre nas seguintes situações:

  • precisa comprovar alguma documentação;
  • precisa comunicar que não existe possibilidade de algum documento ser entregue;
  • precisa solicitar mais tempo (até 30 dias) para entregar os documentos;
  • precisa incluir testemunhas no seu processo. 

Essas são as possibilidades que você pode se deparar a partir do momento que você recebe sua carta.

Mas em todas essas é necessário realizar um requerimento comunicando que a exigência será ou não cumprida

E em todos os casos o advogado previdenciário deve tomar as decisões necessárias, buscando constantemente cumprir tudo que o INSS solicita

Agora, se você já conta com a ajuda deste profissional bem antes de ter entrado com algum processo, essa fase será mais tranquila, porque o seu advogado já estudou seu caso e conhece as suas necessidades

Lembrando que o INSS contabiliza 30 dias para que você cumpra as exigências que ele solicitou, depois disso o processo é arquivado. 

Agora uma dica valiosa para você: não procure um advogado no último minuto do segundo tempo, uma vez que documentação é algo muito burocrático e que pode levar um tempo para que ela seja encontrada, o que pode impedir que você tenha uma aposentadoria aprovada e justa.

Neste tópico você viu que a ajuda de um advogado especialista é essencial mesmo antes de um processo na justiça, porque ele evita que você cometa erros desnecessários.

Agora você vai descobrir qual é o papel do advogado previdenciário no seu processo na Justiça.

Me acompanhe!

3. Adianta sua aposentadoria   

Nos tópicos anteriores você conferiu como o papel do advogado previdenciário evita que você cometa erros antes de entrar na Justiça contra o INSS. 

Mas agora você vai entender como esse profissional adianta (e muito) o seu processo de aposentadoria e faz com que o INSS não decida por quanto tempo deve você vai ficar esperando por ele. 

E como um bom exemplo sempre é bem-vindo e traz mais segurança para você, eu vou contar como funcionam as coisas aqui no Ingrácio.

Nós, como escritório de Direito Previdenciário, estamos investindo incansavelmente em trazer inovação em todos nossos serviços, desde a consulta previdenciária até o processo judicial, planejando sempre uma aposentadoria correta e sem dores de cabeças para nossos clientes. 

Isso porque fazemos um Planejamento Previdenciário Completo aqui no Ingrácio, o que dá ao cliente mais calma e segurança na hora de requerer uma aposentadoria.

Para isso, aplicamos 3 métodos essenciais que vão ajudar você conseguir sua aposentadoria de uma forma mais rápida. São eles:

1º – Petição Administrativa exclusiva

Neste primeiro método nós fazemos questão de juntar toda a sua documentação para uma Petição Administrativa.

Essa Petição é feita na fase do requerimento administrativo de aposentadoria no INSS e aumenta suas chances de ter uma aposentadoria concedida.

Mesmo que ela não seja um documento obrigatório, ela mostra todos os seus direitos e qual será o melhor benefício para você. 

E melhor, a Petição Administrativa ajuda na análise do INSS, o que diminui os erros de interpretação do Instituto e a necessidade de haver uma carta de exigência complexa e demorada.

O que é incrível, porque você evita ficar esperando meses e até anos na fila do Sistema Previdenciário

2º – Mandados de Segurança

Como segundo método, nós realizamos Mandados de Segurança. Eles podem adiantar em mais de 10 meses seu processo no INSS, que antes estava parado.  

Este documento é um processo judicial que obriga legalmente o INSS a dar uma resposta ao seu caso. 

Nós fazemos isso porque sabemos o quanto esperar sem nenhum resposta é angustiante para você.

Fazemos questão de deixar bem claro que o Mandado de Segurança não é uma garantia de benefício concedido, mas uma certeza de que seu processo não ficará na gaveta para o esquecimento.

3º – Prazos internos curtos

Agora, sendo bem honesto com você, nós advogados não conseguimos controlar os prazos dos Juízes, e nem sempre os prazos do INSS. 

Por outro lado, aplicamos métodos ágeis e seguros para cumprirmos nossas tarefas com maior velocidade possível.

Garantido assim prazos cumpridos com uma média de 5 dias ou menos. Isso com certeza agiliza muito o seu processo, porque cooperamos para que tudo saia como o esperado pelo cliente. 

Você acabou de compreender como é possível sim não ficar nas mãos do INSS e ainda ter uma aposentadoria, correta e no tempo certo!

Incrível as oportunidades que só um especialista em previdenciário consegue encontrar, não é mesmo?

5. Resumindo 

Com este post você conseguiu ter uma visão completa de como um advogado previdenciário pode te ajudar, e muito…

Antes do processo judicial, com o auxílio dele, você consegue:

  • identificar suas necessidades antes mesmo de dar início ao seu processo;
  • precaver, solucionar as exigências do INSS e evitar erros.

Durante o processo de aposentadoria, com o auxílio dele, você consegue:

  • preparar um processo (judicial ou administrativo) com a documentação correta;
  • preparar para enfrentar a análise do INSS;
  • diminuir o tempo de espera na fila do INSS. 

E o mais importante, você conseguiu perceber quais são os reais motivos para pedir ajuda de um advogado previdenciário no momento certo e de forma segura

Mas para ser sincero com você, quando decidi escrever este post, eu pensei em todas as pessoas que estão sem conhecer qual é sua situação previdenciária, se elas necessitam ou não de um processo judicial… 

Por isso eu e o Ingrácio vamos continuar aqui, fazendo o possível para te manter atualizado sobre os seus direitos e necessidades

Continue nos acompanhando aqui no Blog, em nosso canal no Youtube e Newsletter!

Plano de Aposentadoria

Cuidamos da sua Aposentadoria de forma 100% online. Somos especializados em aposentadorias no INSS e Servidores Públicos com atendimento online em todo o Brasil e Exterior.

Quero saber