Como existem muitas almas empreendedoras no Brasil, há indivíduos que escolhem se tornar Microempreendedores Individuais — os famosos MEIs.

Contudo, algumas vezes, o projeto de empreender não acontece da forma esperada, dá errado, e a consequência é encerrar as atividades como MEI.

Diante disso, você já se perguntou o que ocorre com o tempo de contribuição recolhido como MEI? Acha que poderá perder todo esse tempo?

Por isso, para explicar essas dúvidas, escrevi este artigo.

Aqui, você entenderá os seguintes pontos:

1. Como funciona a contribuição do MEI?

O MEI é o Microempreendedor Individual que possui um faturamento anual de até R$ 81.000,00.

Além disso, o microempreendedor poderá contratar, no máximo, um único funcionário.

Também, cabe reforçar que existem algumas ocupações para que o MEI possa exercer suas atividades, as quais são permitidas por lei. Entre elas, por exemplo:

  • Açougueiro.
  • Artesão.
  • Instrutor de música.
  • Mecânico.
  • Maquiador.
  • Tatuador.

Você pode conferir a lista completa aqui: Ocupações Permitidas.

Em resumo, a opção de se tornar um Microempreendedor Individual é ótima, porque essa categoria tem direito a algumas reduções de tributos.

Sem contar, inclusive, a existência de uma maior facilidade para que o segurado regularize a sua situação perante o Governo Federal.

Contribuição do MEI

Em relação à contribuição do MEI, como o próprio microempreendedor é o prestador de serviços, ele quem deve fazer o pagamento dos recolhimentos ao INSS.

Caso você ainda não saiba, o recolhimento previdenciário do Microempreendedor Individual deverá ser realizado pelo DAS-MEI, através do site da Receita .

Conforme eu disse antes, o MEI terá alguns privilégios que o contribuinte individual (autônomo) não poderá usufruir.

Um desses privilégios é a redução na contribuição previdenciária ao INSS.

Em sua contribuição normal, o Microempreendedor Individual pagará um recolhimento de 5% sobre o valor do salário-mínimo.

Em 2023, essa quantia, em uma guia de recolhimento (DAS-MEI), é de R$ 65,10.

  • Salário-mínimo em 2023 = R$ 1.302,00.
  • 5% de R$ 1.302,00 = R$ 65,10

Isto é, o segurado MEI deverá pagar R$ 65,10 a título de contribuição previdenciária.

Atenção: esse recolhimento é obrigatório para o MEI.

Confira o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) de um MEI que contribui somente com os 5% (valores de 2022):

exemplo de cnis MEI

Nesta modalidade de recolhimento, o segurado somente terá direito à aposentadoria por idade no valor de um salário-mínimo por mês.

Complementação da contribuição

Caso você queira uma aposentadoria melhor, terá que complementar a sua alíquota de recolhimento de 5% para 20%.

Para isso, você terá que comprar o carnê laranja de recolhimento, a chamada Guia da Previdência Social (GPS) e preencher manualmente.

exemplo de carnê de contribuição
Fonte: Zona Leste

Você encontrará este carnê em bancas de jornais e papelarias.

Vale dizer que o código de pagamento a ser preenchido na GPS é o 1910, referente à complementação de 15% do MEI.

Infelizmente, você não consegue gerar a guia de recolhimento direto no site da Receita (Sistema de Acréscimos Legais – SAL).

Veja que, na imagem abaixo no sistema SAL, não existe a opção de código de pagamento 1910.

exemplo SAL contribuição INSS

Atenção: a complementação apenas poderá ser feita com o salário de contribuição base de um salário-mínimo.

Melhor dizendo, a sua GPS terá o valor de 15% sobre o salário-mínimo.

Em 2023, a quantia dessa guia será de R$ 195,30.

Isso significa que você não poderá escolher o valor do seu salário de contribuição da complementação de 15%, pois ele sempre será de 15% sobre o salário-mínimo.

Caso você queira um salário de contribuição maior, terá as seguintes opções:

  • Abrir uma atividade como contribuinte individual (autônomo) e pagar a GPS sobre o valor do seu rendimento mensal, podendo ser entre o salário-mínimo e o Teto do INSS.
  • Trabalhar como segurado empregado, com vínculo CLT.
  • Prestar serviços específicos, conforme vou falar abaixo.

Exceções ao recolhimento do MEI com 5% sobre o mínimo

atividades que podem descontar 20% sobre o valor do serviço prestado como mei

Caso você não saiba, para os contribuintes individuais que prestam serviço para pessoas jurídicas (PJ) — empresas —, quem deverá fazer o desconto e o recolhimento previdenciário para o INSS será a própria contratante dos serviços. Isto é, a PJ.

Nesta situação, a empresa descontará 20% sobre o valor do serviço prestado pelo contribuinte individual.

No caso do MEI, isso não deverá acontecer, exceto em algumas situações.

Segundo o art. 18-B da Lei Complementar 123/2006, para que a pessoa jurídica possa descontar 20% sobre o valor do serviço prestado, você deverá ter realizado uma atividade:

  • Hidráulica.
  • Elétrica.
  • De pintura.
  • De alvenaria.
  • De carpintaria.
  • De manutenção ou reparo de veículos.

Isso ocorrerá, por exemplo, se você trabalhar como carpinteiro e fizer alguns móveis para uma empresa, totalizando um serviço de R$ 2.000.

A empresa terá que descontar a alíquota de 20% sobre R$ 2.000, da prestação do seu serviço.

Esse valor integrará diretamente o seu salário de contribuição, sem precisar de complementação.

2. Quais aposentadorias o MEI tem direito?

O MEI poderá ter direito a várias modalidades de aposentadorias dentro do INSS.

Porém, tudo dependerá de como o seu recolhimento previdenciário é feito.

Se o MEI optar por não complementar as contribuições, isto é, pagar somente o DAS-MEI (que é obrigatório), ele terá direito somente à Aposentadoria por Idade, com o valor de um único salário-mínimo por mês.

Nesta situação, como estou falando de uma contribuição mais simplificada, o trabalhador apenas terá direito à aposentadoria por idade.

Portanto, o MEI precisará cumprir os seguintes requisitos para ter direito a essa aposentadoria:


HOMEM
MULHER
– 65 anos de idade.
– 15 anos de tempo de contribuição.
– 62 anos de idade.
– 15 anos de tempo de contribuição.

Agora, se você complementar o seu recolhimento previdenciário em 15%, como expliquei anteriormente, você terá a possibilidade de escolher várias modalidades de aposentadorias, tais como:

Como são muitas regras e requisitos diferentes, aconselho você a clicar nos tópicos acima e ir direto no Guia Completo de cada modalidade de aposentadoria.

Lembre-se: você tem direito a essas regras se fizer a complementação de 15% sobre o valor do salário-mínimo, via carnê de contribuição, como expliquei antes.

3. Se eu fechar meu CNPJ, perco o tempo que contribuí?

Não.

Quando você abre uma atividade como Microempreendedor Individual, você recebe um número de CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica).

O CNPJ é como se fosse o CPF da Pessoa Jurídica.

Entretanto, poderá ocorrer algumas situações desagradáveis depois que você abrir o seu CNPJ, em que preciso que você encerre as suas atividades.

  • Crise econômica no Brasil.
  • Baixa demanda do produto/serviço.
  • Aumento dos custos do produto/serviço.

Sendo assim, eu imagino que você esteja se perguntando se você perderá o seu tempo contribuído como MEI caso o seu CNPJ seja encerrado.

A resposta é meio evidente, mas já adianto que você não perderá o seu tempo contribuído.

o período que você contribuiu como MEI poderá contar como tempo de contribuição para sua aposentadoria

Aqui, é a mesma coisa pensar na situação de você ser empregado em uma empresa, e depois ser demitido.

Seria muito injusto e frustrante você perder todo o seu tempo de contribuição feito naquela empresa, simplesmente por ter sido demitido (mesmo que seja por justa causa).

Com a situação do MEI é a mesma coisa.

A Previdência Social não poderá culpá-lo por você encerrar as suas atividades como Microempreendedor Individual.

Mas, novamente, tenha em mente que os recolhimentos feitos pelo plano do MEI (via DAS-MEI) somente contarão para uma Aposentadoria por Idade.

Se você possui vários anos de contribuição, o tempo como MEI não ajudará você a conseguir as demais regras de aposentadoria .

Exceto, contudo, se você optar pela complementação de 15% sobre o valor do salário-mínimo.

Portanto, para ficar evidente, saiba que:

aposentadoria do mei
  • Se você quer uma aposentadoria simples, somente recebendo o mínimo, recolha somente o obrigatório, via DAS-MEI, que é 5% sobre o valor do salário-mínimo.
  • Se você quer uma das aposentadorias por tempo de contribuição, opte:
    • pela complementação de 15% sobre o valor do salário-mínimo;
    • por prestar serviços de hidráulica, elétrica, pintura, alvenaria, carpintaria e de manutenção ou reparo de veículos;
      • Atenção: nesta situação, a empresa que contratou você descontará 20% do valor do serviço prestado.
        • por abrir uma atividade como contribuinte individual (autônomo), hipótese em que você poderá recolher com um valor entre o salário-mínimo e o Teto do INSS;
        • por trabalhar com vínculo CLT.

Tenho dúvidas sobre a melhor opção para mim. O que faço?

Pode ser que você tenha ficado com dúvidas sobre qual será a melhor opção para você.

Neste momento, será importante encontrar um excelente advogado previdenciário e fazer um Plano de Aposentadoria.

Desta maneira, você terá um serviço completo para entender melhor como está a sua situação previdenciária.

A partir disso, você conseguirá ter uma previsão sobre o melhor benefício para o seu caso, baseado em seu histórico contributivo.

Além do mais, você sairá do serviço sabendo como contribuir da maneira correta para ter o melhor benefício.

Estou falando de uma aposentadoria, um benefício que será seu pelo resto da sua vida.

Com certeza, valerá a pena o investimento para recebê-la da melhor forma possível. Concorda?

Para colaborar, deixo, aqui, dois artigos do Ingrácio que, com certeza, serão de grande ajuda:

Conclusão

Com a leitura deste conteúdo, você entendeu melhor quem é o Microempreendedor Individual e como funcionam as suas contribuições previdenciárias para o INSS.

Também, descobriu quais são as aposentadorias destinadas a esse grupo de trabalhadores.

Por fim, compreendeu que o fato de você encerrar as atividades como MEI não fará você perder os seus recolhimentos previdenciários.

Lembre-se que se você estiver buscando uma aposentadoria acima do salário-mínimo, existem algumas opções para receber o melhor salário de contribuição mensal.

Para ajudá-lo nesta jornada, é sempre bom contar com um advogado experiente em Direito Previdenciário e Plano de Aposentadoria.

Conhece algum MEI que precisa saber dessas informações?

Então, compartilhe o artigo via Whatsapp. Tenho certeza que será de grande ajuda.

Por hoje, fico por aqui.

Um grande abraço! Até a próxima.

ben-hur-cuesta

OAB/PR 92.875
Advogado-Pesquisador em Direito Previdenciário e Mestre em Direito Internacional e Europeu. Apaixonado por Música Popular Brasileira e um bom açaí na tigela.

Compartilhe o conteúdo:

Plano de Aposentadoria

Cuidamos da sua Aposentadoria do início ao fim. Somos especializados em aposentadorias no INSS com atendimento online em todo o Brasil e Exterior.

Quero saber