O fator previdenciário é um dos grandes vilões das aposentadorias (antes da Reforma da Previdência).

Caso você tenha fechado os requisitos para se aposentar antes de 12/11/2019, ele pode diminuir seu benefício quanto menos idade e contribuição você tiver. Mas nem sempre vale a pena ficar esperando ele aumentar.

O ideal é você usar a calculadora fator previdenciário 2020 e descobrir.

Aqui na Ingrácio Advocacia criamos uma ferramenta grátis e exclusiva que vai mostrar:

  • o seu fator previdenciário;
  • quando você completa os requisitos para se aposentar;
  • quanto você vai perder se esperar.

Tenha em mente que os números aqui são precisos, mas não substituem a análise de um advogado especializado. Existem outras variáveis que podem influenciar na sua aposentadoria.

Quer saber como entender a calculadora fator previdenciário 2020 de uma vez por todas? Continue a leitura!

O que é o fator previdenciário?

Ele foi criado em 1999 para permitir que pessoas se aposentem mais cedo e sem um limite mínimo de idade.

Mas em novembro de 2019, com a aprovação da Reforma da Previdência, ele foi praticamente extinto, e é utilizado hoje somente em uma regra de transição que eu vou te explicar mais para frente.

Sua função era permitir que o segurado aproveite a aposentadoria mais jovem, mas com um benefício reduzido.

O cálculo do fator previdenciário levava em consideração três variáveis.

O fator previdenciário leva em consta alguns requisitos.
  1. Expectativa de sobrevida.
  2. Idade.
  3. Tempo de contribuição.

Quanto maior a idade e o tempo de contribuição, melhor seu fator previdenciário.

Quanto maior a expectativa de vida, pior o seu fator previdenciário.

Ou seja, ele poderia tanto reduzir ou aumentar o valor dos benefícios.

Tenha em mente que há modalidades de aposentadoria que não usavam o fator previdenciário.

Então se você possui direito adquirido, tenha em mente que são essas aposentadorias que você deve ficar de olho na hora de fazer o pedido no INSS.

Algumas são mais vantajosas ou rápidas de conseguir; tudo depende do seu perfil.

Fator previdenciário positivo, isso existe?

SIM!

Não é algo comum, mas tem casos que fator previdenciário pode aumentar o valor da sua aposentadoria. 

Isso acontece principalmente para quem tem muito tempo de contribuição e alguns anos de idade na conta.

Em quase todos os casos de fator previdenciário positivo, o trabalhador optou por se aposentar mais tarde. Em resumo: se aposentou depois do que deveria.

Mesmo assim, é importante ter em mente que quase nunca vale a pena ficar esperando anos para se aposentar só para deixar o fator previdenciário positivo.

Quais aposentadorias não usam o fator previdenciário?

Nem todos os tipos de aposentadoria recorrem ao fator no cálculo do valor final do benefício.

Em alguns casos, ele só é aplicado se for para melhorar a aposentadoria. Veja quais são essas modalidades:

Aposentadorias que não levam fator previdenciário: aposentadoria especial, por idade, invalidez e por pontos.

Aposentadoria especial

A aposentadoria especial permite se aposentar em qualquer idade, sem sofrer perdas pelo fator previdenciário.

Isso significa que tanto faz se você se aposentar com 40 ou 70 anos, o valor da aposentadoria especial não vai mudar por causa do fator.

O que importa para a aposentadoria especial é a comprovação de 15 a 25 anos de atividade especial, dependendo de qual foi a função desempenhada.

Após a reforma, serão necessários entre 55-60 anos de idade para poder se aposentar. 

Mas, de qualquer forma, o cálculo não leva em conta o fator previdenciário, mas sim a média de todos os seus salários.

A atividade especial é a realização de trabalho em contato com alguns elementos que são perigosos (periculosidade) ou que fazem mal à saúde (insalubridade).

Aposentadoria por idade

Esta é outra aposentadoria que não perde nada com o fator previdenciário. Se o fator for positivo, no entanto, pode ser usado para aumentar o valor do benefício.

Têm direito à aposentadoria por idade o homem que completa 65 anos e a mulher que completa 60 anos de idade, desde que tenham, pelo menos, 15 anos de contribuição, regras estas anteriores a reforma.

A partir da vigência dela, as regras alteraram para 65 anos de idade + 20 anos de tempo de contribuição para os homens e 62 anos de idade + 15 anos de tempo de contribuição para as mulheres.

Atenção! Apesar de o período mínimo de contribuição ser de 15 anos, caso você tenha contribuído para a Previdência por um prazo maior, seu benefício também pode ser aumentado por conta alíquota da aposentadoria por idade, isso se tiver direito a regra anterior a reforma.

Aposentadoria por invalidez

Esta modalidade de aposentadoria é concedida àqueles que não estão aptos a exercer sua profissão.

Aqui, a única coisa que conta é a média das 80% maiores contribuições desde 07/1994.

Com a reforma, o cálculo será 60% da média de todos os seus salários + 2% ao ano que exceder 20 anos de contribuição, para os homens, ou que exceder 15 anos de contribuição, para as mulheres contribuintes do INSS. Caso seja servidora pública, será +2% ao ano que exceder 20 anos, igual a regra dos homens.

Diferente da por idade, nesse caso o fator previdenciário não conta de jeito nenhum. Seja ele positivo ou negativo.

Aposentadoria com Pontos

A melhor aposentadoria do Brasil que vale desde 17/06/2015.

Se você atingir os requisitos de pontos, a calculadora fator previdenciário 2020 não pode te prejudicar. O fator só vai entrar na conta se melhorar o valor da sua aposentadoria.

Para ver como funciona a regra dos pontos, clique aqui. Neste post eu falo como funciona esta aposentadoria e como um profissional em direito previdenciário analisa se esta é a melhor opção para você.

Preciso te dizer que, com a reforma, haverá um aumento progressivo dos pontos até atingir o limite de 105 pontos para os homens e 100 pontos para as mulheres.

Será acrescido 1 ponto por ano, começando em 2020, até atingir o limite que citei.

Mas, mesmo com a reforma, o fator previdenciário não incidirá na Aposentadoria com Pontos.

Consulte o que mudou com a reforma!

Quando vale a pena se aposentar agora?

Vou mostrar alguns casos que quase sempre vale a pena se aposentar agora.

Você sempre contribuiu com o salário mínimo após 07/1994

Quem sempre pagou o salário mínimo após 1994 não ganha nada ao esperar mais tempo para se aposentar. Este é o caso de muitos contribuintes individuais.

A regra de cálculo da aposentadoria sempre leva em conta os salários a partir de 07/1994. 

Como esta média vai ser abaixo do salário mínimo, o fator previdenciário não vai fazer diferença.

Atenção! É história que se você aumentar as contribuições nos últimos três anos, sua aposentadoria vai aumentar muito.

Os últimos três anos interferem muito pouco no valor do benefício, uma vez que serão consideradas suas contribuições desde 1994.

Você já tem direito à aposentadoria sem fator previdenciário

Se esse é o seu caso, se aposente o quanto antes.

Caso sua aposentadoria já não tenha fator previdenciário, esperar mais para se aposentar não vale a pena. Simples assim.

Atenção! Uma exceção pode acontecer com quem tem pouca contribuição depois de 07/1994. Isso porque existe uma regra do divisor mínimo, que eu explico melhor neste post.

O fator previdenciário é muito próximo de 1 (acima de 0,9)

Se o seu fator já estiver muito próximo de 1, quase sempre vale a pena se aposentar.

Isso porque todo o ano a expectativa de sobrevida do brasileiro aumenta, o que faz o cálculo do fator previdenciário diminuir.

Então, não fique brigando por mais alguns anos por conta de 10% do valor da sua aposentadoria. São raros os casos que esta espera vai valer a pena.

Quando você deve esperar para se aposentar?

Se você não está nos casos que falei acima, é preciso analisar se vale a pena esperar para se aposentar.

Esta análise não é simples e exige:

O que considerar antes de se aposentar.
  • conhecimento das regras de cálculo previdenciário;
  • conhecimento em direito previdenciário;
  • análise de possíveis mudanças legislativas.

Somente analisando a fundo seu tempo de contribuição e estudando cada valor é possível escolher com segurança entre se aposentar ou esperar.

Leve em consideração três aspectos.

O que considerar antes de se aposentar.
  1. enquanto você espera para se aposentar mais tarde, você está deixando de receber um benefício a que você já teria direito. Leve em consideração este valor.
  2. quando você começar a receber aposentadoria, terá que pagar imposto de renda sobre o que receber.
  3. depois de aposentado, você não tem mais seu FGTS retido todo mês.

Além disso, é importante ter em mente que as leis podem mudar. Entenda que:

  • os requisitos para se aposentar podem ser diferentes no futuro;
  • as regras de cálculo podem ser diferentes no futuro — para pior ou para melhor;
  • se você já tem direito a uma aposentadoria, você pode se aposentar pela lei antiga mesmo que a regra mude.

Mas essa análise deve ir além do previdenciário. Não deixe de considerar três pontos.

O que considerar antes de se aposentar.
  1. sua situação financeira hoje.
  2. o momento de vida da sua família.
  3. se você está preparado para se chamar de aposentado.

Tudo isso é importante e deve ser analisado por você ou por seu advogado previdenciário de confiança.

Reforma da previdência acabou com o fator previdenciário?

A reforma já bateu na porta e alterou algumas regras no direito previdenciário.

Uma delas é a extinção da aposentadoria por tempo de contribuição, que utiliza o fator previdenciário.

Mas, é importante te dizer que quem começou a contribuir antes da reforma e já possui todos os requisitos para se aposentar por tempo de contribuição, já tem direito adquirido

Ou seja, você vai conseguir se aposentar pelas regras antigas mesmo, utilizando o fator previdenciário no cálculo do valor da sua aposentadoria.

Para você que contribuía antes da reforma e não preencheu os requisitos, entrará em uma das regras de transição.

Importante: existe somente uma regra de transição em que é aplicado o fator previdenciário, a do pedágio de 50%.

Essa regra de transição é feita para quem faltava menos de 2 anos para se aposentar no momento da vigência da reforma da previdência (13/11/2019).

Para ter direito a ela, os homens precisam ter, no mínimo, 33 anos de tempo de contribuição até a data de vigência da reforma e as mulheres, no mínimo, 28 anos de contribuição.

Além disso, é preciso cumprir 50% do tempo que faltava para atingir 35 anos de contribuição para os homens e 30 anos de contribuição para as mulheres.

Imagine a situação de Carla: ela tinha 29 anos e 6 meses de tempo de contribuição no dia 13/11/2019, faltando somente 6 meses para se aposentar.

Ela terá que cumprir o pedágio de 50% referente a esse tempo que faltava (6 meses).

Desse modo, ela terá que cumprir esses 6 meses + 3 meses de pedágio, totalizando 9 meses para Carla ter direito a aposentadoria nessa regra de transição.

O cálculo do benefício é feito com a média de todos os seus salários de contribuição multiplicado pelo seu fator previdenciário.

Agora se você vai começar a contribuir depois da reforma, já entrará nas regras novas.

Nós fizemos um post sobre tudo que mudou com a nova lei previdenciária, confira!

Desse modo, após a reforma da previdência, somente em duas situações o fator previdenciário é aplicado:

  • para quem tem direito adquirido as aposentadorias anteriores à reforma que utilizam esse fator (Aposentadoria por Tempo de Contribuição e Aposentadoria por Idade. Para este último benefício, o fator é aplicado somente se aumentar o valor do benefício);
  • regra de transição do pedágio de 50%.

A tendência é que o fator previdenciário caia em desuso no futuro, porque existe um número limitado de pessoas que tem direito adquirido as aposentadorias anteriores à reforma e a a regra de transição do pedágio de 50%.

Ou seja, uma hora ou outra ninguém mais se enquadrará nas hipóteses de aplicação do fator previdenciário e, desse modo, não será mais utilizado nas aposentadorias.

consulta-aposentadoria-ingracio

Conclusão

Não se esqueça de usar a calculadora fator previdenciário 2020 que fizemos para você.

Explore-a, mas não pare sua análise com essa ferramenta.

Sempre que precisar, releia este post com minhas dicas para você decidir se vale a pena se aposentar ou esperar.

Viu como uma calculadora fator previdenciário 2020 deixa tudo mais fácil?

Aproveite e compartilhe esse post em suas redes sociais para tirar as dúvidas de seus amigos!

Aparecida - Ingrácio advocacia

OAB/PR 26.214
Fundadora do Ingrácio Advocacia. Veio de uma origem humilde e tem 20 anos de experiência no previdenciário. Já ajudou milhares de pessoas a se aposentar.