Em meus anos de especialista em direito previdenciário, vejo que muita gente não sabe como funciona um processo de aposentadoria, quais são as fases e muito menos quanto tempo ele pode demorar.

Essas duas dúvidas são complicadas e no post de hoje eu simplifiquei ao máximo como funciona o processo de aposentadoria, dividindo em 4 partes:

Preparado? Então vamos começar.

1. O Processo de Aposentadoria no INSS

carta de concessão aposentadoria

Atenção: você não é obrigado a aceitar a aposentadoria, caso ela não tenha vindo como você queria. Contudo, depois que você recebe a primeira parcela da sua aposentadoria, não é mais possível cancelar ela.

Depois de aposentado é possível pedir uma revisão, mas não tem como mudar a data da sua aposentadoria para o futuro ou contar o tempo de trabalho depois da aposentadoria para aumentar o valor dela.

O que existe é uma tese chamada desaposentação, que muitos advogados previdenciários vendem como se fosse certeza que o valor da sua aposentadoria vai aumentar.

Porém, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo Tribunal Federal (STF) já decidiram que não é possível a desaposentação.

Então, cuidado! Não caia nessas armadilhas se algum advogado tentar vender essa tese para você.

Quanto tempo demora o processo no INSS

Fazer o atendimento na internet e ser atendidode 2 a 6 meses
INSS analisar seu processode 1 dia a 2 meses
Tempo adicional se tiver atividade especial1 a 3 meses
Tempo adicional se tiver período rural1 a 3 meses
Pedido de cópia do seu processo no INSSde 1 a 2 meses
Duração média de um processo no INSS7 meses

powered by Typeform

2. O recurso para a Junta de Recursos

Duração média de 14 meses.

Quando o INSS não reconhece todos os períodos no seu processo de aposentadoria é possível entrar com um recurso na Junta de Recursos para tentar mudar a decisão da agência do INSS.

Este é um serviço bem pouco conhecido, mas muito útil, principalmente para quem não quer contratar um advogado previdenciário.

O recurso administrativo é uma chance extra. Se o recurso dar certo ótimo! Se o recurso não der certo ainda é possível pedir tudo na justiça.

Você vai precisar entrar no site de agendamento do INSS e escolher o serviço RECURSO.

Este agendamento tem que ser feito até no máximo 30 dias depois que você recebe a carta de concessão ou carta de indeferimento.

Se passar os 30 dias você perdeu a chance de fazer o recurso administrativo e terá que entrar direto com um processo na justiça.

Cadastre seu e-mail abaixo e ganhe um modelo de Recurso Administrativo para o INSS.

Modelo e recurso administrativo.

Download: Modelo de Recurso Administrativo

Como acompanhar?

Você pode acessar o site do e-recursos, digitar algum dos seus dados na janela de consulta processual e consultar.

Abrirá uma tela com os ‘dados básicos do processo’ e logo na sequência uma tela ‘histórico de eventos’ do seu recurso de aposentadoria.

No histórico você acompanha tudo o que a Junta de Recursos fez no seu processo e tem acesso aos documentos importantes do processo.

Histórico de eventos para acompanhar seus recursos

Alguns eventos são bem importantes.

  1. O evento sessão de julgamento (em vermelho) mostra que dia será julgado o seu processo. No caso acima foi em 02/03/2015.
  2. O evento que tem um Acórdão (em azul) estará a decisão da Junta de Recursos. Você pode clicar no link “Ver documentos desse evento” e ver a decisão que deram para o seu processo de aposentadoria.
  3. O evento arquivar (em verde) significa que o recurso no INSS chegou ao seu fim.

Caso o recurso para a Junta de Recursos não de certo, ainda é possível entrar com um processo na Justiça Federal!

Quanto tempo demora o recurso administrativo na Junta de Recursos

Agendamentode 1 a 3 meses
Análise do Recursode 4 a 12 meses
Se a Junta de Recursos solicitar ouvir testemunhas3 a 6 meses
Se o INSS não aceitar uma decisão favorável, e recorrer2 a 12 meses
Duração média de um recurso administrativo14 meses

3. Processo Judicial na Justiça Federal

O processo judicial tem duração média de 18 meses.

O próximo passo, depois que seu processo no INSS e o recurso administrativo na Junta de Recursos terminaram, é entrar com o processo na justiça.

Atenção: você não é obrigado a entrar com o recurso administrativo na Junta de Recursos, mas é obrigado a entrar com o processo no INSS.

O processo na justiça é muito importante. Se você pedir algo e não ganhar, muito dificilmente você consiga este período de novo.

É por isso que a escolha de um advogado previdenciário de sua confiança e com experiência em aposentadorias faz toda a diferença na sua aposentadoria.

O processo de aposentadoria na Justiça Federal pode passar por essas fases (as duas primeiras fases são obrigatórias):

A) Análise das provas e produção de novas provas

Após o INSS apresentar os motivos para não ter concedido sua aposentadoria (contestação), o juiz irá analisar todas as provas que você já tinha e as que foram juntadas no processo.

Em alguns casos é necessário produzir mais provas, ou porque o juiz não está convencido com as provas que existem, ou porque as provas não são suficientes para provar todos os seus direitos.

Essas provas podem ser:

Análise das provas e produção de novas provas para se aposentar.
  • Solicitação de novos documentos para as empresas em que você trabalhou;
  • Prova pericial para analisar as condições do ambiente de trabalho e averiguar a atividade especial;
  • Oitiva de testemunhas para ouvir testemunhas que possam comprovar seu período rural ou mesmo especial.

Cada prova nova que precisa ser produzida faz com que o processo demore mais. E ao mesmo tempo há uma garantia a mais de que seu pedido vai ser atendido.

B) Decisão do juiz – sentença

Depois de analisadas todas as provas, o juiz irá decidir sobre seu caso.

Esta decisão ainda não é definitiva, tanto o INSS quanto o seu advogado previdenciário pode não concordar com a decisão e recorrer.

Isso é bom porque se a decisão não for boa para você, é possível mudar. O ponto negativo é que o INSS pode fazer a mesma coisa.

C) Recurso para o Tribunal ou Turma Recursal

Caso o INSS ou você não concorde com a decisão é possível interpor um recurso.

Neste caso, seu processo será novamente analisado por três desembargadores ou juízes que irão dar uma nova decisão sobre seu processo. Normalmente, o processo acaba aqui!

D) Recurso para instâncias superiores

Em alguns casos, a matéria que está sendo discutida no seu processo é de repercussão em todo o Brasil, e não existe um posicionamento consolidado de o que é certo ou errado.

Quando isto acontece, mesmo depois da decisão dos 3 juízes, é possível realizar novos recursos para o STJ ou STF.

Se isto acontecer o processo demorará bem mais.

Diferença entre Procedimento Comum e Especial

O processo de aposentadoria pode ter dois procedimentos diferentes (formas que o processo acontece), o comum e o especial. O procedimento especial é mais rápido, mas tem uma limitação.

Procedimento Especial

Este procedimento é para as causas que a soma dos valores já atrasados no momento do ajuizamento da ação, mais 12 parcelas do valor previsto para sua aposentadoria, não some mais que 60 salários mínimos (R$ 62.700,00 em 2020).

Este procedimento é mais rápido, porque não existe algo chamado remessa necessária. A remessa necessária é um instituto do direito que obriga o processo a passar pela análise de um colegiado de juízes. 

Ou seja, mesmo se o primeiro juiz da causa julgar o processo de aposentadoria procedente (você ganhar o processo) e o INSS não recorrer, seu processo terá que ser analisado por outros juízes como “se alguém tivesse feito um recurso”.

No Procedimento Especial não tem esse instituto, então se dá sentença do juiz nem você e nem o INSS apresentarem recurso o processo acaba.

Importante: Muita gente acha que o INSS sempre recorre, o que não é verdade. Muitos processos no Procedimento Especial acabam com a decisão do primeiro juiz.

Procedimento Comum

No processo de aposentadoria que acontece pelo procedimento comum, há a remessa necessária.

E mesmo que não seja apresentado recurso o processo será encaminhado para o Tribunal Regional Federal da sua região para que outros 3 desembargadores analisem novamente o seu processo. Isso faz o processo durar quase o dobro.

Quanto tempo demora o Processo Judicial

Tempo para produzir o pedido e entrar na justiçade 1 a 2 meses
Se tiver perícia no local de trabalho4 a 8 meses para cada perícia
Se tiver oitiva de testemunhas3 a 6 meses
Tempo para o juiz analisar as provas e julgar o processode 4 a 8 meses
Se tiver recurso do INSS ou do futuro aposentadode 6 a 24 meses
Se tiver recurso para instâncias superiores (STJ e STF)de 12 a 60 meses
Duração média de um Processo Judicial18 meses
consulta-aposentadoria-ingracio

4. Atrasados de Aposentadoria – Execução dos Valores

Duração média de 4 ou 24 meses.

Depois de ganho o processo você terá alguns valores (atrasados) para receber. O prazo para pagarem os atrasados dependerá do valor que você tem para receber.

Menos de 60 salários mínimos para receber:

Neste caso, o pagamento é feito por Requisição de Pequeno Valor (RPV) e demora em média 6 meses.

Mais de 60 salários mínimos para receber:

O pagamento é feito por Precatório e obedece a uma regra definida pela Constituição Federal:

  • Se o precatório for expedido até 01º de julho, o pagamento será feito no ano seguinte.
  • Se o precatório for expedido após 01º de julho, o pagamento será feito fora o ano seguinte, no outro.

Exemplo: Rafael, um metalúrgico de uma empresa em Curitiba, tem um processo de aposentadoria que já está ganho e só falta receber os atrasados. Ele tem R$ 90.000,00 para receber. 

Se o precatório dele for expedido em 01/07/2016 (ou antes) ele receberá os atrasados no ano de 2017. Se o precatório dele for expedido em 02/07/2016 ele receberá os atrasados no ano de 2018.

Dica: Caso seu precatório tenha dado um pouco mais que 60 salários mínimos, é possível renunciar o excedente e receber mais rápido por RPV.

Exemplo: Rafael tem R$ 55.000,00 para receber. Ele pode demorar até 30 meses para receber se optar por precatório. Mas se ele quiser, ele pode abrir mão do que passa de 60 salários mínimos (R$ 2.200,00) e receber tudo em apenas 6 meses.

Então quando o valor passa apenas um pouco de 60 salários mínimos, ou a urgência é muito grande, é possível receber menos só que mais rápido.

Quanto tempo demora para receber os atrasados de aposentadoria

Duração média Requisição de Pequeno Valor (RPV)4 meses
Duração média Precatório24 meses

Gostou desse conteúdo? A gente tem mais informações para compartilhar com você, para receber tudo no conforto do seu e-mail, assine nossa Newsletter agora mesmo! 🙂

Aparecida - Ingrácio advocacia

OAB/PR 26.214
Fundadora do Ingrácio Advocacia. Veio de uma origem humilde e tem 20 anos de experiência no previdenciário. Já ajudou milhares de pessoas a se aposentar.